Itália
93'
2 - 1
Albânia

Inundações devastadoras na Líbia fazem cerca de 2.000 mortos e mais de 10 mil desaparecidos

Agência Lusa , AM, atualizado às 13:44 de dia 12 de setembro
11 set 2023, 23:22
Líbia (Associated Press)

Balanço das autoridades sanitárias ainda não incluía a cidade de Derna, a mais atingida e ainda sem possibilidade de acesso para equipas de socorro

Pelo menos 2.000 pessoas morreram e mais de 10 mil estão desaparecidas devido às devastadoras inundações em diversas cidades costeiras do norte da Líbia, indicou esta segunda-feira um dos líderes do país fraturado entre dois poderes paralelos.

“O número de mortos é enorme e cerca de 10.000 estão desaparecidos”, disse Tamer Ramadan, chefe da delegação da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) na Líbia, citado pela CNN Brasil, durante uma conferência de imprensa em Genebra, esta terça-feira.

As mortes confirmadas já ascendiam a dezenas após a tempestade mediterrânica Daniel ter provocado cheias devastadoras que arrasaram bairros inteiros, mas o balanço das autoridades sanitárias ainda não incluía a cidade de Derna, a mais atingida e ainda sem possibilidade de acesso para equipas de socorro.

O chefe do governo paralelo do leste líbio, Osama Hammad, definiu a situação em Derna de "catastrófica" ao referir-se a "milhares de desaparecidos, bairros inteiros arrasados e levados por um mar com os seus habitantes".

Segundo o Centro Nacional de Meteorologia líbio, a precipitação ultrapassou os 400 mililitros por hora, um valor que não se registava há quatro décadas. Um membro do Conselho Municipal de Derna, Ahmed Amdur, pediu uma intervenção internacional "urgente" para "salvar a cidade".

O colapso de zonas residenciais e de edifícios e infraestruturas públicas e privadas implicou o bloqueio dos acessos rodoviários, com Amdur a pedir um corredor marítimo para fornecer auxílio aos habitantes desta cidade costeira situada na zona leste do país.

Abdulhamid Debiba, o primeiro-ministro do Governo de Unidade Nacional (GUN) com sede em Tripoli (oeste) prometeu que o Estado vai indemnizar as populações atingidas pelas inundações e decretou três dias de luto nacional pelas vítimas.

Em simultâneo, anunciou o envio para Derna de 50 ambulâncias e uma equipa de 75 médicos e enfermeiros, para além de diverso material destinado a reforçar os hospitais das zonas rurais.

A missão das Nações Unidas na Líbia (Unsmil) declarou em comunicado que acompanha e perto a situação de emergência e manifestou "disponibilidade para fornecer apoio aos afetados".

Após ter atingido a Grécia e Turquia nos últimos dias, o ciclone Daniel tornou-se numa tempestade subtropical em 09 de setembro e espera-se que comece a enfraquecer sobre a Líbia a partir de hoje, e quando se dirige para o vizinho Egito, segundo o centro meteorológico regional árabe.

África

Mais África

Patrocinados