Ministério da Cultura termina protocolo com Coleção Berardo e anuncia novo museu no CCB

26 mai, 18:20
Joe Berardo

Estado quer criar um Museu de Arte Contemporânea no atual espaço da Coleção Berardo, onde pretende que seja também exposta a coleção Ellipse, ligada ao BPP de João Rendeiro

O Ministério da Cultura terminou o protocolo com a Coleção Berardo, "considerando a incerteza que decorre dos processos" atualmente na Justiça, anunciou esta quinta-feira o ministro Pedro Adão e Silva.

"Decidimos denunciar, naturalmente, o protocolo que, desde 2006, vigorava entre o Estado, a fundação CCB, Joe Berardo e a associação Coleção Berardo", afirmou o ministro. Uma decisão que produz efeitos a partir de 1 de janeiro de 2023.

Até lá, adiantou Adão e Silva, o Governo "tomará as devidas diligências para proceder à extinção da Fundação de Arte Moderna e Contemporânea Coleção Berardo" e, consequentemente, será iniciado o processo para a criação de um Museu de Arte Contemporânea no mesmo espaço em Belém.

"O Estado recuperará a gestão do Módulo 3 do CCB, o que permitirá revigorar a atividade deste espaço", referiu o ministro.

Ao tomar esta decisão relativamente à coleção Berardo, Adão e Silva assegura que a "prioridade continua a ser uma: garantir a fruição pública de uma coleção que é notável e é mesmo única no contexto do nosso país". Nesse sentido, o Ministério garante que vai continuar a assegurar a integridade da coleção, também na sua denominação (como Coleção Berardo) "e o seu normal funcionamento", bem como conservação e respetivos seguros.

"Quando os tribunais vierem tomar uma decisão definitiva das obras naturalmente que o Estado irá negociar os termos de um novo protocolo com quem for o seu legítimo proprietário", reitera Adão e Silva.

Importa referir que, após pedir uma indemnização de 900 milhões de euros a quatro bancos, Joe Berardo avançou esta semana com um processo cautelar contra o Ministério da Cultura e a Fundação Centro Cultural de Belém (CCB), que está neste momento a gerir o edifício em que está exposta a coleção Berardo.

Estado vai comprar coleção de Rendeiro

Na mesma conferência de imprensa, o ministro da Cultura anunciou que o Estado vai comprar a Coleção Ellipse, ligada ao Banco Privado Português (BPP) de João Rendeiro, e que conta com cerca de 800 peças.

Segundo o ministro, "o Estado conta muito em breve adquirir a Coleção Ellipse e depositá-la no espaço do CCB". O Governo não adiantou, contudo, qual o valor que está em causa.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Artes

Mais Artes

Patrocinados