«Faria a seleção brasileira jogar melhor», diz ex-Benfica

29 set, 23:30
Marçal (Botafogo)

Marçal, que jogou no Nacional, Torreense e no clube da Luz, sonha ser convocado por Tite para o Escrete

Após uma passagem discreta pelo Wolverhampton, Marçal regressou ao Brasil para jogar no Botafogo. O lateral-esquerdo, que tem sido aposta de Luís Castro no Fogão, sonha com um lugar na seleção canarinha.

«Sonho sempre com a seleção do Brasil. Dizia em casa quando voltei ao Brasil o objetivo era ter maior visibilidade. Conheço o estilo de jogo da seleção porque sempre assisti aos jogos, independentemente dos horários, e acho que me encaixaria muito bem na equipa. Não posso dizer que se tivesse voltado mais cedo teria essa hipótese, mas estou a trabalhar para tê-la», começou por dizer, em entrevista ao «Lance». 

Marçal, ex-Benfica, Torreense e Nacional, defendeu que o Brasil poderia «jogar melhor no lado esquerdo» se Tite o convocasse.

«Há muitos bons jogadores no Brasil, mas com características diferentes. Olhando para o cenário atual, não só dos jogadores brasileiros, mas também no Mundo, eu faria a seleção brasileira jogar melhor no lado esquerdo pelo estilo de jogo. No Botafogo temos o Jeffinho do lado esquerdo e na seleção brasileiro joga um jogador do mesmo estilo (Neymar ou Vinícius) e consigo fazer esse tipo de jogador funcionar. O Brasil não precisa tanto de um jogador como o Marcelo, precisa de maior segurança e de boa saída de bola. Esse é mais o meu estilo. Não digo se há jogadores melhores ou piores, são estilos diferentes. Mas observando o cenário atual, encaixo-me melhor na seleção», defendeu, em entrevista ao «Lance». 

Além da passagem por Portugal e pelos Wolves, o defesa, de 33 anos, jogou ainda nos turcos do Gaziantepspor, no Guingamp e no Lyon, em França. 

Relacionados

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados