«Se fosse brasileiro, com direção brasileira, Luís Castro já não estaria aqui»

25 set, 23:22
Luís Castro (Getty Images)

Renê Simões analisa a liderança portuguesa do Botafogo

Antigo treinador do Botafogo, mas também com passagem por Portugal, onde orientou o Vitória de Guimarães, Renê Simões entende que a continuidade de Luís Castro no Botafogo é uma questão de nacionalidades.

«Não conheço muito o treinador do Botafogo. Parece-me que não tinha dirigido nenhuma equipa. Acho que sempre foi coordenador ou diretor, que são posições completamente diferentes. Além disso, trouxeram muitos jogadores ao mesmo tempo. Isso tudo é muito difícil. Ainda tem a cultura brasileira do cara ter que se adaptar a isso. Você tem que se adaptar a cultura do país», afirmou Renê Simões no programa «Samba que é Gol».

«Vejo os treinadores portugueses muito rígidos em algumas coisas que não abrem mão. O fato deles não balançarem a cintura faz com que essa adaptação seja um pouco mais difícil. Se fosse um treinador brasileiro e uma direção brasileira, o treinador já não estaria aqui há muito tempo», acrescentou ainda Renê Simões, de 69 anos.

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados