Ex-primeiro-ministro do Paquistão condenado a mais 10 anos de prisão

Agência Lusa , AM
30 jan, 11:56
Imran Khan (EPA/SOHAIL SHAHZAD/LUSA)

Imran Khan foi destituído pelo parlamento em abril de 2022

O ex-primeiro-ministro do Paquistão Imran Khan e um deputado do mesmo partido foram condenados esta terça-feira a 10 anos de prisão por um tribunal paquistanês que os considerou culpados de revelar segredos oficiais.

De acordo com Zulfiqar Bukhari, porta-voz do partido Pakistan Tehreek-e-Insaf, o tribunal anunciou o veredicto numa prisão da cidade de Rawalpindi.

Khan, que foi destituído pelo parlamento em abril de 2022, está atualmente a cumprir uma pena de três anos de cadeia respeitante a um caso de corrupção.

Shah Mahmood Qureshi, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros e número dois do partido fundado por Khan foi condenado no mesmo processo, cuja sentença foi anunciada esta terça-feira. 

 A nova condenação ocorre antes das eleições parlamentares que se vão realizar no próximo dia 8 de fevereiro no Paquistão.

Relacionados

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados