Iluminação pública pode passar a ter horários de funcionamento reduzidos e sensores de presença

22 nov, 08:25
Luzes de Natal em Lisboa

REVISTA DE IMPRENSA. Medidas de redução do consumo energético incluem-se no Plano de Poupança de Energia 2022-2023

Os municípios vão passar a poder instalar sistemas de iluminação mais eficientes e adequados à necessidade dos utilizadores, noticia o Jornal de Notícias esta terça-feira. 

A medida inclui-se no Plano de Poupança de Energia 2022-2023 anunciado pelo Governo no final de setembro. Apesar de as medidas terem um caráter de implementação apenas "recomendado", delegando a decisão final de implementação a cada município, a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) já assumiu um compromisso e irá em breve assinar um acordo com a Agência para a Energia (ADENE).

Os municípios serão convidados a "contribuir para a monitorização nacional" do plano, através do "preenchimento voluntário de um questionário" com o "reporte" mensal das ações implementadas no terreno, de acordo com um documento a que o JN teve acesso. Estes dados serão posteriormente tratados pela ADENE, que dinamizará "ações de capacitação, sensibilização e informação junto dos técnicos de administração pública local".

Alguns dos sistemas de iluminação alternativos necessitam de um maior investimento, como a colocação de sensores de presença que só acendem ao detetar movimento. Outras passam apenas pela redução do consumo energético e pela mudança de comportamentos, como a promoção de luz natural, a inutilização de luz pública durante o dia (incluindo iluminação decorativa) e adequação da intensidade da iluminação aos horários e à necessidade dos utilizadores.

País

Mais País

Patrocinados