Zelensky pediu ao G7 sistemas de defesa e soluções para a reconstrução e bloqueio do trigo

Agência Lusa , BC - notícia atualizada às 13:47
27 jun, 11:20

Presidente da Ucrânia falou esta segunda-feira à porta fechada com os líderes dos países mais industrializados do mundo

O Presidente da Ucrânia pediu esta segunda-feira aos líderes do G7, reunidos em cimeira na Alemanha, sistemas de defesa antiaérea, ajudas para a reconstrução do país e uma estratégia contra o bloqueio russo às exportações de trigo ucraniano.

Volodymyr Zelensky dirigiu-se aos líderes das sete maiores economias mundiais (G7) através de videoconferência, numa sessão realizada à porta fechada, da qual apenas algumas imagens iniciais foram transmitidas sem som. 

No entanto, e de acordo com informações fornecidas por fontes alemãs e da União Europeia (UE), citadas pela agência noticiosa espanhola EFE, o líder ucraniano avançou com estes pedidos durante a sua intervenção.

O presidente da Ucrânia terá ainda dito que quer a guerra terminada antes do final do ano, uma vez que o inverno é muito duro na Ucrânia.

 Zelensky disse que ainda é cedo para negociar com a Rússia

Zelensky deixou claro que ainda não chegou o momento de negociar com a Rússia e que a Ucrânia deve primeiro consolidar as suas posições, anunciou a presidência francesa.

"O Presidente Zelensky deu uma resposta muito clara a todos, que hoje não é o momento de negociar, a Ucrânia negociará quando estiver em posição de o fazer, ou seja, quando tiver restabelecido uma posição de força", disse o gabinete de Emmanuel Macron, citado pela agência francesa AFP.

O presidente da Ucrânia insistiu na "necessidade de um apoio total, abrangente e altamente operacional à Ucrânia” para permitir que o país restaure a sua integridade territorial.

Em particular, pediu aos líderes do G7 mais equipamento militar para conter o avanço de Moscovo e "empurrar os russos de volta" para lá das linhas anteriores à invasão de 24 de fevereiro.

Os líderes do G7 apresentaram posições "extremamente convergentes" em linha com as "expectativas do Presidente Zelensky", disse a presidência francesa.

Macron "disse muito claramente que nada relativo à Ucrânia será decidido sem a Ucrânia" e que cabe a Zelensky "determinar quando pode entrar em negociações com a Rússia", acrescentou a presidência francesa.

Na cimeira do G7 participam Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, bem como a União Europeia (UE).

A Alemanha exerce atualmente a presidência do G7.

Europa

Mais Europa

Patrocinados