“Sou totalmente culpado": dois soldados russos confessam crimes de guerra na Ucrânia e pedem clemência

26 mai, 11:51

Alexander Bobikin e Alexander Ivanov foram responsáveis por um bombardeamento a uma zona civil em Kharkiv

Dois soldados russos declaram-se esta quinta-feira culpados de crimes de guerra, naquele que foi o segundo julgamento do género desde que começou o conflito na Ucrânia. Segundo os procuradores ucranianos, citados pelo The Guardian, Alexander Bobikin e Alexander Ivanov reconheceram ter feito parte de uma unidade que disparou artilharia contra a região de Kharkiv a partir de Belgorod, na Rússia.

“Sou totalmente culpado dos crimes de que sou acusado”, afirmou Alexander Bobikin na sala de audiências do tribunal de Kotelva, na região de Poltava, que fica perto de Kharkiv.

Os bombardeamentos em causa destruíram um edifício educacional na cidade de Derhachi.

Os homens, descritos como o condutor e o responsável pelas armas, foram capturados depois de terem ultrapassado a fronteira e terem continuado a bombardear o local.

O advogado de defesa argumentou que os dois soldados estavam apenas a seguir ordens, acrescentando que estavam arrependidos e que tinham pedido clemência: “Estou arrependido e peço uma redução da sentença”, disse Alexander Ivanov, que pediu para não ser condenado à pena máxima.

Os procuradores pediram que os dois soldados fossem condenados a penas de prisão de 12 anos por violarem as leis de guerra. A decisão é esperada a 31 de maio.

Recorde-se que Vadym Shishimarin, soldado russo, já foi condenado a prisão perpétua por crimes de guerra, depois de ter matado um civil a sangue frio em Chupakhivka.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados