“Dos telhados das casas inundadas, as pessoas podem ver os corpos afogados a passar”: Zelensky culpa a Rússia e está "chocado" com a ONU e a Cruz Vermelha

CNN Portugal , DCT
7 jun 2023, 18:56
Volodymyr Zelensky (Carl Court, Pool via AP)

Há um risco iminente de contração de doenças pela contaminação das águas após destruição da barragem de Kakhovka. E diz que a Rússia dispara contra quem quer salvar gente no local

Um dia depois do colapso da barragem de Kakhovka, Volodymyr Zelensky queixa-se da falta de apoio da ONU e Cruz Vermelha, acusando os dois organismos de não estarem no local quando, diz, deviam ser os primeiros a chegar “para salvar vidas”.

Em entrevista aos jornais alemães Bild e West, o presidente ucraniano diz-se “chocado” pela falta de apoio dos dois organismos. “Não recebemos uma resposta. Estou chocado”, afirma, acrescentando que a pouca reação que houve foi “muito diplomática”.

Na mesma entrevista, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky não hesita em culpar a Rússia pela destruição da barragem - “só aconteceu por causa da Rússia e das pessoas que agora controlam esta região”, embora admita que, para já, não tem qualquer prova. “Que provas podemos ter? Quando estivermos lá, recolhermos provas.”

Zelensky assegura que o ataque à barragem era já uma possibilidade para as tropas russas: “Há um ano dissemos que tínhamos informações de que algo iria acontecer”, mas que os “parceiros” acabaram por nada fazer para travar o ataque que deixou Kherson debaixo de água, com milhares de pessoas desalojadas e um risco iminente de contração de doenças pela contaminação das águas, como já alertou o Ministério da Saúde ucraniano.

E o cenário agora é este, diz Zelensky: “Pessoas e animais morreram. Dos telhados das casas inundadas, as pessoas podem ver os corpos afogados a passar. Pode ver-se isso do outro lado”. E as dificuldades mantêm-se e tendem a aumentar à medida que o nível das águas sobe: “É muito difícil tirar as pessoas da parte ocupada da região de Kherson”, lamenta, apontando novamente o dedo à Rússia, mais concretamente às tropas russas, que acusa de dispararem contra os socorristas ucranianos que tentam retirar as pessoas dos locais inundados.

“Assim que nossos ajudantes quiserem salvá-los, serão baleados. Só poderemos ver todas as consequências daqui a alguns dias, quando a água tiver escoado um pouco”, diz aos jornais alemães.

“O que está a acontecer agora é uma tragédia. Um desastre ambiental e um desastre humano”, aponta Zelensky. Mais: “Isto não nos ajuda na contraofensiva, não torna a contraofensiva mais fácil”.

O presidente ucraniano reconhece que é “difícil dizer que impacto isso vai ter” e diz que não pode “entrar em detalhes sobre a contraofensiva”, mas deu a entender que esta ainda não começou. “Todos vão sentir” quando entrar em andamento. “Quando eles virem e sentirem, entenderão que começou.”

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados