Governo admite que CEO da TAP ainda tem direito a bónus de desempenho

ECO - Parceiro CNN Portugal , Diogo Ferreira Nunes
22 mar 2023, 13:44
TAP Air Portugal (Getty Images/ Universal Images Group)

Comissão executiva da TAP não pediu à tutela para fazer conferência de apresentação de resultados (houve lucros), adiantou ainda o ministro das Infraestruturas

O Governo abre a porta ao pagamento do bónus de três milhões à ainda presidente da comissão executiva da TAP. O ministro das Infraestruturas, João Galamba, adiantou esta quarta-feira, no Parlamento, que Christine Ourmières-Widener pode ser compensada pelo desempenho na companhia nos últimos dois anos.

“Não disse que não receberia o bónus se fosse recuperado todo o dinheiro injetado. O que disse consta do acordado entre a Parpública e a ainda CEO da TAP no âmbito de processo de contratação: se os objetivos forem cumpridos e se o plano de reestruturação for um sucesso, a CEO tem o direito ao bónus. Eu e o ministro das Finanças dissemos na conferência de imprensa da semana passada que o Estado pagará o que tiver a pagar e não pagará o que não tiver a pagar”, respondeu o ministro ao deputado do PSD Paulo Rios de Oliveira durante audição parlamentar.

Christine Ourmiére-Widener tem um salário bruto de cerca de 500 mil euros mas, devido aos cortes salariais no âmbito do plano de reestruturação, ganha 375 mil euros. E tem, além disso, direito a um prémio de desempenho que poderá atingir os três milhões de euros. No entanto, há uma alínea no contrato que determina a aprovação do bónus em assembleia geral, e poderá estar em causa a legalidade da acordo, adiantaram em fevereiro a CNN Portugal e o Jornal Económico.

A líder da TAP está em processo de saída, na sequência do relatório da Inspeção-Geral das Finanças relativamente ao pagamento da indemnização de meio milhão de euros à antiga administradora Alexandra Reis. “Foram identificadas falhas graves e a violação de normas legais” ao abrigo do Estatuto de Gestor Público, referiu João Galamba durante a audição.

O ministro esclareceu ainda que não houve conferência de imprensa de apresentação de resultados de 2022 porque “não foi pedido”. “Num cenário de transição, entendemos não fazia grande sentido uma conferência de imprensa de apresentação dos resultados. A tutela e a administração entenderam que isto era razoável”, detalhou, em resposta ao mesmo deputado social-democrata.

A TAP regressou aos lucros em 2022, registando resultados positivos de 65,6 milhões de euros e receitas recorde de 3,5 mil milhões de euros. Resultados que antecipam em dois anos o que está previsto no plano de reestruturação da empresa acordado com Bruxelas.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Mais Lidas

Patrocinados