"Portugal vai disponibilizar toda a ajuda à Ucrânia" no processo de adesão à UE e na reconstrução do país

CNN Portugal , com Lusa
21 mai, 13:23

António Costa esteve reunido com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e garantiu o apoio de Portugal no processo de adesão da Ucrânia à UE, mas lembrou que o processo pode ser longo. Zelensky lembra que a Ucrânia não está só a perder tempo, mas também "vidas humanas"

O primeiro-ministro, António Costa, já se encontrou com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky. Numa conferência de imprensa conjunta, Costa anunciou que "Portugal vai disponibilizar toda a ajuda à Ucrânia" no processo de adesão à UE e na reconstrução do país. 

"Acolhemos de braços abertos a opção muito clara que a Ucrânia fez pela Europa, sublinhou o primeiro-ministro."Independentemente do que venha a acontecer, disponibilizamos todo o apoio técnico, e mostrámos disponibilidade para a troca de experiências, tendo em conta o nosso próprio processo de adesão", disse o primeiro-ministro anunciando que virá a Portugal o vice-chefe de gabinete de Zelensky.

"Estamos geograficamente distantes, mas somos dois povos próximos", disse António Costa, que recordou o papel determinante da comunidade ucraniana em Portugal para o desenvolvimento do país, ao longo dos anos. 

O líder do executivo português adiantou que, para desenvolver esse programa de cooperação, em junho, estará em Lisboa o chefe de gabinete adjunto do Presidente Volodymyr Zelensky.

“Aguardamos com expectativa o relatório da Comissão Europeia sobre o pedido de adesão da Ucrânia à União Europeia. Pela parte de Portugal, daremos toda a colaboração técnica para apoiar esse processo de adesão, assim como também transmitiremos a nossa experiência na União Europeia”, declarou.

Adesão da Ucrânia à UE

Porém, Volodymyr Zelensky, que afirmou que Portugal encontra-se “do lado justo da história, acabou por chocar com António Costa quando este recordou que o processo de adesão à UE pode ser demorado, tal como foi o processo português.

O líder ucraniano considera que não é correto comparar o processo de adesão da Ucrânia ao português, que demorou nove anos, uma vez que o país está em guerra.

"Compreendo que muitos países esperaram muitos anos para chegar a ser candidatos e depois membros. Mas é incorreto comparar a Ucrânia com esses países que passaram esse caminho em paz. Nós, em guerra, não estamos só a perder tempo, mas também pessoas, vidas humanas, por isso agradeço quem apoia a nossa candidatura”, disse o Zelensky

Portugal disponível para reconstruir escolas e jardins de infância

Costa manifestou a disponibilidade de Portugal para participar num programa de reconstrução de escolas e jardins de infância da Ucrânia ou patrocinar a reconstrução de uma zona territorial a indicar pelas autoridades ucranianas.

Das opções pela reconstrução, o líder do executivo português manifestou preferência pela referente às escolas e jardins de infância, dizendo que o Estado Português tem experiência recente na execução desses programas de modernização de estabelecimentos de ensino.

Em relação ao apoio militar à Ucrânia, António Costa disse que Portugal fornece e vai fornecer material letal e não letal. Neste ponto, adiantou que ainda na sexta-feira aterrou na Polónia um avião com material militar, que, no entanto, não especificou.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Governo

Mais Governo

Patrocinados