Gasoduto Nord Stream 2 já não está a derramar gás no Mar Báltico

1 out, 17:17
Mancha provocada pela fuga de gás no Nord Stream (Forças Armadas da Dinamarca)

Um relatório conjunto dos governos dinamarquês e sueco, divulgado na sexta-feira, concluiu que as fugas foram causadas por explosões submarinas

O gasoduto Nord Stream 2 já não tem fugas no Mar Báltico, tendo sido alcançado um equilíbrio entre a pressão do gás e da água, segundo informações avançadas pela empresa à AFP e à Reuters este sábado.

"A pressão da água fechou mais ou menos o gasoduto para que o gás que está dentro não possa sair", disse o porta-voz da Nord Stream 2, Ulrich Lissek. "A conclusão é que ainda há gás no gasoduto", acrescentou. Questionado sobre a quantidade de gás que se acreditava estar no gasoduto, Lissek afirmou que a resposta a essa questão vale "um milhão de euros".

Por outro lado, a informação atual sobre o estado da fuga do gasoduto Nord Stream 1, que era significativamente mais forte, ainda não foi tornada pública.

Os gasodutos Nord Stream 1 e 2, que ligam a Rússia à Alemanha, têm estado no centro de tensões geopolíticas à medida que a Rússia cortava o fornecimento de gás à Europa, sob suspeita de retaliação contra as sanções ocidentais, após a invasão da Ucrânia.

Ainda que os gasodutos não estejam atualmente em funcionamento, ambos ainda continham gás quando ocorreu uma aparente sabotagem, produzindo quatro fugas. Um relatório conjunto dos governos dinamarquês e sueco, divulgado na sexta-feira, concluiu que as fugas foram causadas por explosões submarinas correspondentes a centenas de quilos de explosivos.

"Toda a informação disponível indica que essas explosões são o resultado de um acto deliberado", disseram os países. A origem das explosões permaneceu, no entanto, um mistério, tendo Moscovo e Washington negado a responsabilidade. Todas as fugas, que foram descobertas na segunda-feira, encontram-se no Mar Báltico ao largo da ilha dinamarquesa de Bornholm.

O porta-voz da Nord Stream, Ulrich Lissek, disse que a empresa tinha informado o regulador energético dinamarquês, no início de sábado, de que o gasoduto tinha parado de derramar gás. As autoridades dinamarquesas tinham dito que as fugas continuariam até o gás nos gasodutos estar esgotado, o que se espera que aconteça no domingo.

Europa

Mais Europa

Patrocinados