Resultados líquidos da Galp aumentam 13,7% para mil milhões de euros em 2023

Agência Lusa , AM - notícia atualizada às 10:57
12 fev, 08:29
Refinaria da Petrogal em Matosinhos

Dívida líquida do grupo subiu de 1,21 mil milhões de euros no final de setembro para 1,4 mil milhões de euros no final de dezembro

A Galp obteve resultados líquidos de mil milhões de euros em 2023, mais 13,7% que no ano anterior, impulsionada por um "sólido desempenho" em todas as unidades de negócio, anunciou esta segunda-feira a empresa.

A Galp referiu que o EBITDA (resultado antes de impostos) foi de 3,56 mil milhões de euros, menos 7,6% do que em 2022, de acordo com um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Por categoria, o EBITDA do 'Upstream' (exploração e produção de petróleo e gás natural) foi de 2,26 mil milhões de euros no ano passado, uma descida de 26,6%.

A empresa justificou a queda com a redução do preço do petróleo no mercado mundial, sublinhou que a produção aumentou 6% em 2023.

Na categoria 'Industrial and Midstream' (transporte, armazenagem e marketing de crude e gás natural), o EBITDA atingiu 929 milhões de euros no ano passado, mais do dobro do registado em 2022.

No entanto, a Galp admitiu esperar uma redução de 13% no EBITDA este ano.

A dívida líquida do grupo subiu de 1,21 mil milhões de euros no final de setembro para 1,4 mil milhões de euros no final de dezembro, mas recuou face aos 1,5 mil milhões de euros do final de 2022.

o Conselho de Administração da Galp vai propor um aumento de 4% dos dividendos em 2024 para 0,54 euros por ação e, com base no desempenho de 2023, um programa de recompra de ações de 350 milhões de euros a levar a cabo este ano.

No quarto trimestre do ano passado, o resultado líquido da Galp aumentou 4% em termos homólogos para 284 milhões de euros, com a petrolífera a destacar o “sólido desempenho operacional” do ‘Upstream’” e a “manutenção da contribuição do ‘Midstream’, embora limitado na área de refinação pela paragem planeada [para manutenção] em Sines”.

Neste trimestre, o EBITDA atingiu os 720 milhões de euros, sendo que, no ‘Upstream’, este indicador somou 599 milhões, um decréscimo homólogo de 24% resultante da saída dos ativos angolanos e de um ambiente de preços de petróleo e gás “menos favorável”.

Numa base comparável, no Brasil e em Moçambique, a produção aumentou 8% em termos homólogos, suportada pela contribuição do projeto FLNG Coral Sul em Moçambique e pelo aumento da disponibilidade e da eficiência das unidades operacionais no Brasil.

Já no segmento das “Renováveis & Novos Negócios”, o resultado antes de impostos foi de 21 milhões de euros, num trimestre sazonalmente baixo para a produção, refletindo um ambiente de preços de mercado mais baixos, mas beneficiando do aumento da capacidade operacional, refere a empresa.

Quanto à categoria “Industrial & Midstream”, registou um EBITDA de 63 milhões de euros, com uma “contribuição robusta” do ‘Midstream’ nas atividades de ‘trading’ de petróleo, gás e eletricidade, que “mais do que compensou a contribuição negativa do segmento Industrial”, na sequência da paragem planeada na refinaria de Sines.

Na área comercial, o resultado antes de impostos somou 54 milhões de euros entre outubro e dezembro, um trimestre de menor procura sazonal na Península Ibérica, mas em que se registou um aumento homólogo da contribuição dos negócios não petrolíferos e de baixo carbono.

No último trimestre de 2023, o investimento líquido da Galp foi de 382 milhões de euros, maioritariamente direcionado para os projetos de ‘Upstream’ em desenvolvimento no pré-sal brasileiro e para a campanha de exploração na Namíbia, bem como para o início da construção da fábrica de biocombustíveis avançados e da unidade eletrolisadora de 100 Megawatts (MW) em Sines.

Relacionados

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados