Incêndio em Vila Pouca de Aguiar com uma frente ativa combatida por mais de 300 operacionais e dez meios aéreos

Ana Borges Pinto , AM com Lusa - notícia atualizada às 11:17
28 jul, 08:54

Chamas ganham força durante a manhã, chegando mesmo a ameaçar algumas localidades

O combate às chamas em Vila Pouca de Aguiar está a ser feito por mais de 300 operacionais na manhã desta quinta-feira. Ao que a CNN Portugal apurou no local, o incêndio tem uma frente ativa e as chamas ganharam força durante a manhã, chegando mesmo a ameaçar algumas localidades.

De acordo com o site da Proteção Civil, às 11:15 estavam no terreno 309 operacionais, apoiados por 92 meios terrestres e dez meios aéreos.

O alerta para o fogo foi dado às 17:14 de quarta-feira e em pouco tempo verificou-se uma grande mobilização de meios para esta ocorrência, que teve uma progressão muito rápida em zona de pinhal.

Ao final da tarde de quarta-feira, o fogo ameaçou a aldeia de Filhagosa, sem provocar danos, tendo sido combatido pelos operacionais, populares e os meios aéreos. Chegaram a operar neste teatro de operações seis meios aéreos.

As chamas progrediram em direção à aldeia de Revel, mas os operacionais conseguiram cortar o incêndio muito antes de chegar lá.

Este é o segundo grande incêndio numa semana neste concelho. O fogo que deflagrou no dia 17 de julho, em Cortinhas, Murça, evoluiu para Vila Pouca de Aguiar e queimou uma vasta área de pinhal e mato, ainda soutos, vinha e pastos.

Perigo máximo de incêndio

Cerca de 70 concelhos dos distritos de Bragança, Vila Real, Guarda, Coimbra, Santarém, Castelo Branco, Portalegre e Faro apresentam esta quinta-feira perigo máximo de incêndio rural, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA colocou também vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental em perigo muito elevado e elevado de incêndio rural.

Segundo o Instituto, o perigo de incêndio rural vai manter-se elevado em algumas regiões do continente pelo menos até segunda-feira.

O IPMA prevê para hoje no continente céu nebulosidade matinal no litoral oeste, com possibilidade de períodos de chuva ou chuvisco, vento por vezes forte na faixa costeira ocidental e nas terras altas e pequena subida da temperatura máxima no Algarve.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 14 graus Celsius (Guarda, Viseu e Coimbra) e os 22 (em Faro) e as máximas entre os 23 (em Aveiro, Viana do Castelo e Porto) e os 36 (em Faro).

 

País

Mais País

Patrocinados