Há mérito em Hollywood? Porque se fala tanto dos “bebés nepo”?

CNN , Scottie Andrew
7 jan, 10:00
Nebo babies

Simplificando, e segundo Nate Jones da “New York”: “Um bebé nepo é a prova física de que a meritocracia é uma mentira”

Um dos caminhos com maiores garantias de sucesso no mundo do espetáculo é ser filho de alguém já famoso e bem-sucedido.

Estes descendentes são apelidados de “bebés nepo” (nepo de nepotismo) e infiltraram-se não muito secretamente em inúmeras referências amadas da cultura pop. Quem era a sua personagem preferida em “Stranger Things”? A Robin? Bebé nepo. A felina anti-herói preferida do filme “The Batman”? Sim, ela é um bebé nepo. Se, nesse filme, gostou mais do Enigma, temos novidades - a companheira dele na vida real também é um bebé nepo.

O facto de estas pessoas famosas e bem-sucedidas serem filhos ou familiares de outras pessoas famosas e bem-sucedidas não é uma surpresa. É difícil olhar para Maya Hawke e para Zoë Kravitz sem perceber quão parecidas são com os seus pais famosos.

Mas o termo “bebé nepo” é relativamente novo, um nome que inspirou culpa e ansiedade entre aqueles que descreve. A última edição da revista “New York” destacou dezenas de bebés nepo, chegando mesmo a colocar alguns deles novamente de fraldas numa capa que parece uma maternidade repleta de estrelas.

A edição explodiu como uma bomba, deixando os leitores chocados ao apresentar linhagens famosas e chegando mesmo a incluir uma ou duas surpresas. Alguns fãs defenderam os seus ídolos, outros aplaudiram a revista pela sua audácia de potencialmente alienar inúmeras celebridades. Algumas das celebridades referidas participaram na conversa.

Os bebés nepo protagonizam adoradas séries de streaming e são falados nos boatos sobre prémios. Já foram estrelas na Broadway e a cara de grandes campanhas de moda. Alguns são amados por todos. Outros são o Chet Hanks.

Simplificando, e segundo Nate Jones da “New York”: “Um bebé nepo é a prova física de que a meritocracia é uma mentira.”

Uma breve história do bebé nepo

“Bebé nepo” refere-se ao filho/a de adultos bem-sucedidos que beneficiou do nepotismo em setores como o entretenimento ou as indústrias relacionadas (a moda e a comunicação social são duas das grandes). Ao contrário das pessoas com iniciativa e dos zés-ninguém com um talento natural, os bebés nepo começam com uma vantagem – os contactos dos pais - embora muitos deles venham mais tarde dizer que serem filhos de quem são é um fardo quando se trata de ganhar nome por si mesmo.

Este ano, o burburinho do bebé nepo começou depois da controversa série “Euphoria”, da HBO, emitir a segunda temporada. Alguns jovens espetadores ficaram chocados quando souberam que a atriz que faz parte do elenco da série, Maude Apatow, é filha do realizador Judd Apatow (“Um Azar do Caraças”, “Aguenta-te aos 40!”) e da atriz Leslie Mann (também de “Um Azar do Caraças” e “Aguenta-te aos 40!”). Sam Levinson, o realizador de “Euphoria”, também é um bebé nepo. É filho do realizador de sucesso Barry Levinson, com quem coescreveu o filme da HBO “Madoff: Teia de Mentiras”, antes de realizar “Euphoria”.

A atriz Maude Apatow e o pai, o realizador Judd Apatow, na festa da HBO dos Emmys de 2022, a 12 de setembro em West Hollywood.

Estas ligações surpreenderam alguns jovens utilizadores do TikTok, que começaram a investigar outros bebés nepo relativamente desconhecidos. (Muitos dos bebés nepo mais conhecidos atingiram o pico na fama antes de a Geração Z ter idade suficiente para se lembrar deles.) Foram depois esses vídeos que popularizaram o termo “bebé nepo”.

O debate sobre os bebés nepo atingiu novos patamares em novembro, quando Lily Rose Depp, filha de Johnny Depp e de Vanessa Paradis, que também vai participar numa série de Sam Levinson, rejeitou o termo numa entrevista que deu à revista “Elle”: “A Internet preocupa-se mais com quem é a nossa família do que as pessoas que nos contratam para os papéis. Talvez consigamos pôr um pé na porta, mas não passa disso. Há muito trabalho envolvido, a seguir.”

Os críticos atacaram, incluindo a supermodelo em ascensão Vittoria Ceretti, que trabalhou para casas de moda como a Chanel (para quem Depp é modelo desde a adolescência). “Tenho muitos amigos que são bebés nepo e respeito-os muito, mas não suporto que se comparem comigo”, disse Ceretti num story do Instagram. “Não nasci numa almofada confortável e sensual com vista. Sei que a culpa não é deles, mas, por favor, deem valor e reconheçam o lugar de onde vieram.”

Tudo isso inspirou o Vulture, o site de cultura pop da revista “New York”, a lançar uma série de fim de ano sobre bebés nepo, que incluía uma taxonomia abrangente de crianças famosas (e menos famosas) de pais superfamosos.

Quem é quem no universo dos bebés nepo

A publicação do Vulture deixou bastante claro que o universo dos bebés nepo é vasto e potencialmente infinito. Existem as jovens estrelas: Maya Hawke é filha de Uma Thurman e de Ethan Hawke, e a queridinha dos filmes independentes, Riley Keough, é neta de Elvis. Também existem muitos bebés nepo há muito estabelecidos na indústria como a Zoë Kravitz (Lenny Kravitz e Lisa Bonet), a Kate Hudson (Goldie Hawn e o padrasto Kurt Russell) e Gwyneth Paltrow (Blythe Danner e o realizador Bruce Paltrow).

Alguns nomes da lista foram uma surpresa: dois dos três membros de "Please Don't Destroy", antigos alunos da Universidade de Nova Iorque que criam curtas digitais para o "Saturday Night Live", são filhos de produtores do "SNL". As irmãs Rooney e Kate Mara fazem parte de duas famílias fundadoras da NFL. E Katherine Waterston, a atriz de “Monstros Fantásticos”, é a filha com sotaque britânico de Sam Waterston, recentemente de “Grace and Frankie”.

Depois, há aqueles que são tão talentosos e/ou estabelecidos que a reputação de bebés nepo já não faz qualquer diferença. Jamie Lee Curtis é filha de Janet Leigh e de Tony Curtis. As credenciais de Dakota Johnson são antigas: ela é neta de Tippi Hedren, a estrela de “Os Pássaros” e filha de Melanie Griffith de “Uma Mulher de Sucesso” e de Don Johnson de “Miami Vice”. E a oscarizada ícone gay, Laura Dern, é filha de dois nomeados aos Óscares, Diane Ladd e Bruce Dern.

A atriz Jamie Lee Curtis e a mãe, a atriz Janet Leigh, posam para uma sessão de retratos em 1979, em Los Angeles.

O Vulture também encontrou algumas tendências interessantes ligadas aos bebés nepo: oito deles apareceram em "Era Uma Vez ... Em Hollywood" de Quentin Tarantinto, segundo o site. As três filhas de Meryl Streep são todas atrizes que apareceram na HBO. Vários outros bebés nepo entraram na série da HBO “Big Little Lies”, que também contou com a participação de Alexander Skarsgård, da família Skarsgård. (A HBO, uma empresa que, como a CNN, pertence ao grupo Warner Bros. Discovery, é aparentemente uma grande empregadora de bebés nepo)

Os leitores ficaram surpreendidos, indignados e encantados

Como seria de esperar, os “stans” das estrelas que o Vulture destacou manifestaram-se em apoio aos seus ídolos, defendendo-os por potencializarem a sua fama e criticando a revista por destacar uma história familiar que qualquer pessoa poderia pesquisar no Google. (Nota: “Stan” é um termo usado para “fã acérrimo” e popularizado por Eminem, cuja filha Hailie também faz parte da lista do Vulture por apresentar um podcast.)

Eve Hewson, atriz ("Bad Sisters" e "The Knick") e filha de Bono, fez várias publicações no Twitter mostrando desdém em relação ao artigo. “Metas para 2023: ser suficientemente bem-sucedida para ser reconhecida como um bebé nepo”, escreveu antes de perceber que tinha sido mencionada num gráfico informativo.

Depois, publicou: “Meu Deus, por favor, os bebés nepo todos podem juntar-se e vestir-se como bebés gigantes para o Halloween?”

O artigo lembrou algumas das respostas dos bebés nepo mencionados quando foram questionados sobre o seu privilégio. Maya Hawke disse à “Rolling Stone” no início deste ano que, no que toca “àquilo do nepotismo”, ela reconhece que a sua linhagem “definitivamente lhe deu grandes vantagens nesta vida” e, embora “tenhamos oportunidades de graça… as oportunidades não serão infinitas.” Por sua vez, Maude Apatow disse que o rótulo a deixou “triste”, mas que ela tenta “não deixar que isso a afete porque obviamente entende que está numa posição de sorte.”

Alguns críticos realçaram que algumas das inclusões na lista do Vulture foram exageradas: Phoebe Bridgers, por exemplo, foi incluída entre os “bebés da indústria” como a “filha de um cenógrafo” ao lado do jovem nomeado aos Óscares Lucas Hedges, cujo pai é realizador e cujo avô era um executivo da HBO. Para alguns dos fãs de Bridgers, foi incongruente comparar as ligações à indústria das duas estrelas.

A maioria dos bebés nepo escolhidos pelo Vulture não respondeu à publicação ou ao rebuliço que ela gerou. Afinal, muitos deles são tão famosos que conseguem evitar envolver-se em tendências como estas.

Artes

Mais Artes

Mais Lidas

Patrocinados