FC Porto reage a absolvição de Colombatto por alegado insulto racista a Pepe

8 out 2023, 10:59
Santi Colombatto no FC Porto-Famalicão (Jose Manuel Alvarez/Quality Sport Images/Getty Images)

Dragões repudiaram comportamento do Conselho de Disciplina da FPF

Santiago Colombatto foi ilibado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), no caso em que terá proferido um alegado insulto racista contra Pepe, e o FC Porto reagiu, contestando a decisão.

Segundo o CD da FPF, não terão sido encontradas provas de que o médio argentino terá chamado «Mono» (Macaco) ao internacional português no FC Porto-Famalicão, da meia-final da Taça de Portugal, disputado em maio deste ano no Dragão. Ora, esta versão é contrariada este domingo pelos dragões através da sua newsletter.

«É falso que não tenha havido provas. As que houve foram ignoradas e as que poderiam ter sido adicionadas não foram verdadeiramente procuradas por quem tem o poder de aplicar a justiça - curiosamente, os mesmos que sancionam os clubes quando por qualquer motivo não colaboram em situações semelhantes», defendem os portistas, acusando o CD de «não se empenhar na descoberta da verdade»

«Segundo o acórdão, a instrutora 'solicitou à direção de arbitragem da FPF (...) o envio das imagens/som do VAR (...), as quais, mesmo após insistência, não lhe foram facultadas'. Uma vez que o incidente ocorreu perto do árbitro principal e que é provável que o registo sonoro permitisse descortinar o teor das palavras de Colombatto, é inusitado que o Conselho de Arbitragem não tenha aceitado colaborar com a justiça e que o Conselho de Disciplina não se tenha empenhado na obtenção do máximo de informação possível», revela o FC Porto, acrescentando: «Aos 40 anos de idade e mais de duas décadas depois do arranque de uma carreira que o coloca no topo do futebol mundial, Pepe vê assim um insulto racista que lhe foi dirigido passar impune na sequência de uma decisão lamentável do Conselho de Disciplina da mesma federação de futebol que ele orgulhosamente representa desde 2007.»

De referir que Pepe pode ainda recorrer da decisão para o Conselho de Justiça ou para o Tribunal Arbitral do Desporto.

Relacionados

Patrocinados