Morreu Tremendão, morreu o Gigante Gentil, morreu Erasmo Carlos

22 nov, 17:28
Erasmo Carlos (DR)

Era conhecido por estes três nomes. Trabalhou com Roberto Carlos. Fizeram mais de 500 músicas

O cantor e compositor brasilero Erasmo Carlos morreu esta terça-feira. Tinha 81 anos. Foi  autor de mais de 600 músicas e de clássicos como “Sentado à Beira do Caminho”, “Minha Fama de Mau”, “Mulher”, “Quero que tudo vá para o inferno”, “Mesmo que seja eu” e “É proibido fumar”.

Segundo a imprensa brasileira, o artista morreu no Hospital Barra D’Or, no Rio de Janeiro, onde estava internado desde a manhã de segunda-feira. A causa da morte ainda não foi confirmada, mas o músico esteve recentemente internado com um quadro de edema.

Nascido na Tijuca, no Rio de Janeiro, Erasmo Esteves cresceu a ouvir música no Bar do Divino e a conviver com futuras estrelas da MBP, como Tim Maia e Jorge Ben Jor. Na adolescência conheceu Roberto Carlos durante um concerto de Bill Haley no Maracanãzinho. Juntos haveriam de formar uma das mais famosas duplas de composição da música brasileira, com mais de 500 canções produzidas em conjunto, incluindo a famosa “Festa de arromba”.

Foram também os dois principais rostos do "Jovem Guarda", programa de divulgação de música moderna que fez sucesso na TV Recorde na década de 1960 e que haveria de dar origem a um movimento cultural influenciado por Elvis Presley, Rolling Stones e Beatles, influenciando mais de uma geração no país já que misturou a música nacional brasileira com o rock.

“Erasmo Carlos” era, na verdade, o seu nome artístico, criado em homenagem aos parceiros que estiveram com ele no início da carreira: Roberto Carlos e Carlos Imperial. Mas entre os amigos era conhecido como Tremendão e Gigante Gentil.

Em 1985, Erasmo esteve na primeira edição do Rock in Rio.

Há três dias, o cantor ganhou um Grammy Latino na categoria "Álbum de rock ou música alternativa em língua portuguesa" pelo disco "O Futuro Pertence à Jovem Guarda".

O Presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, lamentou a morte do ícone da música na rede social Twitter.

“Erasmo Carlos, muito além da Jovem Guarda, foi cantor e compositor de extremo talento, autor de muitas das canções que mais emocionaram brasileiros nas últimas décadas. Tremendão, amigo de fé, irmão camarada, cantou amores, a força da mulher e a preocupação com o meio ambiente”, escreveu Lula da Silva. “Deixa saudades e dezenas de músicas que sempre estarão em nossas lembranças e na trilha sonora de nossas vidas. Meus sentimentos aos familiares, amigos e fãs de Erasmo Carlos”, acrescentou.

O diretor da Rede Globo, José Bonifácio Brasil de Oliveira, conhecido como Boninho, publicou uma mensagem de despedida ao amigo no início da tarde. “Meu adeus ao querido Tremendão. Erasmo leva seu sorriso e o rock para o céu! Saudades”, escreveu Boninho.

Música

Mais Música

Patrocinados