Grupo DST deseja "o melhor para a Efacec" após não chegar a acordo de compra

Agência Lusa , CE
28 out, 22:06
Efacec

Governo realça que "continua a trabalhar" com todas as partes envolvidas

O grupo DST desejou esta sexta-feira o “melhor para a Efacec”, uma vez que “não foi concluída” a aquisição da participação social por “não ter sido possível verificar todas as condições necessárias” à concretização do Acordo de Venda da Efacec.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a DST informa que, “por não ter sido possível verificar todas as condições necessárias à concretização do Acordo de Venda da Efacec, não foi concluída a aquisição da (…) participação social [71,73%]”, desejando ainda “o melhor para a Efacec”.

Além disso, refere que finda esta etapa, “importa sublinhar os esforços de todas as partes envolvidas que desde o primeiro momento, em conjunto com a DST e os seus consultores, estiverem arduamente empenhados na concretização desta operação”.

Os ministérios da Economia e do Mar e das Finanças informaram esta sexta-feira que “a reprivatização da participação social de 71,73% da Efacec, promovida, em processo competitivo, nos termos da Resolução do Conselho de Ministros n.º 113/2020, de 21 de dezembro, não foi concluída com a alienação da referida participação social, dado não se terem verificado todas as condições necessárias à concretização do Acordo de Venda”.

Na nota, as tutelas explicam que “a intervenção pública, justificada por toda a repercussão dos acontecimentos ocorridos em 2020 relacionados com a estrutura acionista, tem uma natureza transitória”.

O Governo realça também que “continua a trabalhar” com todas as partes envolvidas, incluindo “interessados na aquisição da empresa, numa solução que viabilize a atividade industrial da Efacec e salvaguarde o interesse público.

Relacionados

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados