Ursos polares ocupam estação meteorológica abandonada na Rússia

18 fev, 13:07

Fotos de Dmitry Kokh aconteceram naturalmente, sem incomodar a vida dos ursos que ocupam a Wrangel Island e a estação meteorológica há muito abandonada

A viagem do fotógrafo russo Dmitry Kokh a uma ilha remota no Ártico, era, só por si, uma viagem "do outro mundo". Mas tudo ficou melhor quando, entre o nevoeiro e a chuva, apareceram os ursos polares.

Contactado pela CNN Portugal por email, Dmitry explica como o sonho de fotografar ursos polares se tornou realidade em setembro do ano passado, numa viagem até Wrangel Island, uma reserva natural protegida pela Unesco, em Chukotka, e muitas vezes conhecida como "maternidade do urso polar".

"O local é muito inacessível, o que pode ser mau para os turistas, mas é ótimo para os animais"... e para os fotógrafos que há anos sonham pelo momento em que vão conseguir fazer o clique perfeito. 

O momento aconteceu durante a viagem, que começou em agosto, num dia de mau tempo, em que Dmitry Kokh seguia a bordo de um barco e o capitão se teve de aproximar da ilha de Kolyuchin para se abrigar da tempestade.

"Kolyuchin é conhecida pela estação meteorológica polar que operava nela nos tempos soviéticos. Embora a estação tenha sido fechada em 1992, a vila abandonada ainda permanece na ilha. O vento forte e a chuva, os prédios negligenciados nas costas rochosas, serviram para fazer com que tudo parecesse surreal. De repente, notámos movimento nas janelas das casas. Alguém pegou nuns binóculos e vimos as cabeças dos ursos polares. Nevoeiro, um lugar há muito deserto, ursos polares – era o cenário perfeito!"

Na ilha deserta, os cerca de 20 ursos - a maioria machos - deambulavam pelas casas abandonadas e pelos barris que ficaram esquecidos na ilha. Como "entrar na ilha era muito perigoso naquele dia", o fotógrafo russo recorreu a um drone equipado com hélices de baixo ruído para fazer as fotos.

"Também usei certos truques que me permitiam fotografar os animais sem perturbá-los. Depois de algum tempo, os ursos praticamente ignoraram o zumbido incomum [do drone]". 

E as fotos da "Casa dos Ursos" aconteceram naturalmente, sem incomodar a vida dos ursos que ocupam a Wrangel Island e a estação meteorológica há muito abandonada.

Em conversa com Anatoly Kochnev, um especialista em ursos polares, Dmitry questionou porque é que estes animais gostam tanto de ficar em edifícios: "Curiosidade".

"Primeiro, os ursos polares são muito curiosos por natureza, por isso, tentam sempre ultrapassar as portas e as janelas que estejam trancadas. E depois, infelizmente, estes animais são normalmente perseguidos, por isso usam as casas como proteção dos humanos".

De Dmitry os ursos não precisaram de se proteger, e as suas fotos correm agora o mundo. No instagram, onde começou a divulgar as imagens da expedição a 5 de setembro de 2021, a primeira foto conta com mais de nove mil gostos.

"Meses depois da expedição, às vezes ainda vejo os ursos polares nas janelas da casa quando fecho os olhos antes de dormir". 

O fotógrafo deixa, no entanto, um alerta, de que "mais cedo ou mais tarde, tudo o que é feito pelo Homem deixará de existir", caso não se cuide do planeta. Por isso, diz, que é preciso "começar a cuidar do planeta e das criaturas vivas que precisam da nossa proteção".

Clima

Mais Clima

Patrocinados