Número de desempregados inscritos sobe 6% em março face ao mesmo mês de 2023

Agência Lusa , PF
19 abr, 17:12
IEFP

A nível regional, em março, com exceção dos Açores (-11,0%) e da Madeira (-20,3%), o desemprego aumentou em termos homólogos, com o valor mais acentuado na região do Algarve (+14,4)

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego caiu 1,9% em março face a fevereiro, mas subiu 6% em termos homólogos, totalizando 324.616, segundo dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

No fim de março, estavam registados 324.616 desempregados nos serviços de emprego do continente e regiões autónomas, mais 18.459 (6,0%) do que no mesmo mês do ano anterior, mas menos 6.392 (-1,9%) em comparação com fevereiro, indica o IEFP.

Para o aumento homólogo global, contribuíram os inscritos há menos de 12 meses (19.204) nos centros de emprego, os que procuram um novo emprego (17.029) e os detentores do ensino secundário (16.365).

A nível regional, em março, com exceção dos Açores (-11,0%) e da Madeira (-20,3%), o desemprego aumentou em termos homólogos, com o valor mais acentuado na região do Algarve (+14,4).

Já face mês anterior, o IEFP indica que, com exceção da região de Lisboa e Vale do Tejo, "a tendência é de redução do desemprego com a maior variação a acontecer na região do Algarve (-18,5%)".

Considerando os grupos profissionais dos desempregados registados no continente, o IEFP destaca os “trabalhadores não qualificados“ (27,5%), os “trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção segurança e vendedores” (20,3%), o "pessoal administrativo"(11,9%) e "especialistas das atividades intelectuais e científicas" (10,2%).

Relativamente ao mês homólogo, "observa-se um acréscimo no desemprego, na maioria dos grupos profissionais, com destaque para os "operadores de instalações e máquinas e trabalhadores da montagem" (+11,8%) e "trabalhadores qualificados da indústria, construção e artífices" (9,7%).

O IEFP salienta, por sua vez, a redução do desemprego nos "agricultores e trabalhadores qualificados da agricultura, pesca e floresta" (-3,3%).

Ao longo do mês de março inscreveram-se nos serviços de emprego de todo o país 44.387 desempregados, menos 7,8% em termos homólogos e uma redução de 8,3% face a fevereiro.

As ofertas de emprego recebidas ao longo do mês totalizaram 11.087 em todo o país, um número inferior ao do mês homólogo em 24,8% e superior face ao mês anterior em 22,2%.

As atividades económicas com maior expressão nas ofertas de emprego recebidas ao longo de março no continente, foram as "atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio" (24,1%), o "alojamento, restauração e similares" (18,7%), o "comércio por grosso e a retalho" (11,2%) e a "administração pública, educação, atividades de saúde e apoio social"(7,2%).

As colocações realizadas em março totalizaram 8.312 em todo o país, menos 8% face ao mesmo mês do ano passado e mais 23,4% em cadeia.

Economia

Mais Economia

Patrocinados