opinião
Kleber Carrilho, coordenador da Pós-Graduação em Marketing Político, IPAM

Desafios Estratégicos na Crise Política Portuguesa

30 nov 2023, 16:13

Ao conquistar a maioria absoluta em 2022, António Costa não assegurou apenas a vitória do seu partido, assumiu também um risco considerável: qualquer crise subsequente que se instalasse no futuro seria irrevogavelmente associada à sua liderança. Esse caminho acabou por se desdobrar em vários episódios ao longo da corrente legislatura, culminando no caso do lítio e do hidrogénio, que resultou na sua demissão imediata.

A resposta do primeiro-ministro foi, indubitavelmente, uma tentativa de preservar não apenas a sua própria imagem, mas também a integridade do Partido Socialista (PS). Em tempos de crise, a transparência e ação ágil tornam-se imperativos incontestáveis.

Agora, mais do que nunca, os profissionais de Comunicação e Marketing Político, assim como as mentes estrategas de todos os partidos do espetro político português, devem decifrar o atual cenário e traçar estratégias meticulosas. É sabido que uma crise partidária não só aumenta a exposição negativa dos seus protagonistas, mas também propicia o surgimento de denúncias contra outros partidos, dada a presença constante do tema nos meios digitais e na comunicação social.

No que concerne às estratégias adotadas pelos restantes partidos, o Chega optou pela abordagem do “já sabia” nas redes sociais, um movimento que procura não apenas conquistar votos, mas que também pode gerar cobranças a longo prazo.

Enquanto isso, o PSD, sob a liderança de Luís Montenegro, posiciona-se como a única solução viável. Contudo, está ciente de que as críticas inflamadas ao PS se podem voltar contra si, caso não haja confirmação do envolvimento do primeiro-ministro no escândalo de corrupção do processo “Influencer”.

Além da formulação de estratégias, os partidos devem, de forma proativa, atuar no espaço público e nas redes sociais. Este é um período em que discursos e performances populistas dominam a cena política, exigindo uma presença marcante e assertiva.

Embora inicialmente pareça que os partidos à esquerda estão a capitalizar as críticas ao Governo nos meios digitais para conquistar eleitores, é crucial recordar-nos que alguns destes partidos alimentam a expetativa de integrar a próxima composição governativa. Assim, Bloco de Esquerda, Livre e PCP estarão certamente a avaliar a temperatura que vigora no espaço público antes de definir estrategicamente o seu posicionamento.

Na esfera política à direita, o PSD sinaliza uma possível aproximação ao CDS e à Iniciativa Liberal (IL). Enquanto isso, a IL, ao resgatar a imagem de João Cotrim de Figueiredo nas redes sociais e ao criticar diretamente André Ventura, está a testar a sua presença e influência junto do eleitorado. A atitude de Pedro Passos Coelho, ao afirmar que não considera o Chega um partido antidemocrático, pode ter como objetivo estratégico posicionar o PSD mais à direita, conquistando votos que, de outra forma, iriam para o Chega.

No epicentro da crise no PS, a estratégia mais sensata consiste em evitar a publicitação de disputas internas, resolver conflitos com celeridade e apresentar um novo líder que se destaque perante os eleitores.

Para António Costa, há ainda uma oportunidade se este conseguir comunicar de forma competente a “injustiça” de que diz ter sido alvo, gerando uma dívida nacional a ser resolvida. Se bem executado, isso poderá proporcionar ao, ainda, primeiro-ministro e secretário-geral socialista, o tempo suficiente para construir uma candidatura sólida à Presidência da República em 2026.

Contudo, até ao desenlace do 10 de março, muitos eventos e acontecimentos estarão ainda por vir. A maestria no entendimento das estratégias de Comunicação e Marketing torna-se imperativa, especialmente num contexto em que as redes sociais desempenham um papel decisivo na condução da discussão política. Este é o ponto de partida primordial e crucial neste intrincado tabuleiro político, onde as peças se movem com astúcia e à velocidade da luz, exigindo uma compreensão profunda das dinâmicas digitais e uma abordagem estratégica meticulosa para moldar e influenciar a narrativa em constante evolução.

Colunistas

Mais Colunistas

Patrocinados