Covid-19: Grécia adota maioria das recomendações da UE para quem vem da China

Agência Lusa , DCT
5 jan, 19:28
Chineses fazem teste covid em Pequim

A Áustria, a Alemanha, a Suécia e a Bélgica já tinham anunciado que iam exigir testes aos viajantes procedentes da China.

Os viajantes que cheguem à Grécia em voos diretos da China terão de apresentar um teste à covid-19 negativo, anunciou esta quinta-feira a Agência Nacional de Saúde grega, que adotou ainda outras recomendações feitas pela União Europeia (UE).

Além da exigência do teste, as autoridades de saúde gregas recomendam a utilização de uma máscara de alta proteção (N95/KN95/FFP2) para todos os passageiros em voos que partam do país asiático e tenham a Grécia como destino final.

A Grécia decidiu ainda começar a fazer controlo de águas residuais no aeroporto internacional de Atenas, bem como em aviões que chegaram ao país diretamente da China, de forma a reforçar a vigilância e detetar possíveis novas variantes a tempo, refere a Agência Nacional de Saúde em comunicado.

Atenas aprovou a maior parte das recomendações que a UE aconselhou “fortemente” aos Estados-membros relativas aos viajantes oriundos da China, com exceção dos testes aleatórios destes passageiros nos pontos de entrada no país, o que não consta como uma medida no comunicado.

A Áustria, a Alemanha, a Suécia e a Bélgica já tinham anunciado esta quinta-feira que iam exigir testes aos viajantes procedentes da China.

Este país asiático enfrenta uma onda sem precedentes de infeções pelo coronavírus responsável pela doença respiratória covid-19, depois de o Governo ter levantado as fortes restrições que adotou nos últimos anos.

Apesar disso, as autoridades chinesas anunciaram que terminarão no domingo, dia 08, as quarentenas obrigatórias à chegada à China e permitirão que os chineses viajem livremente para o estrangeiro.

Alguns países – como França, Espanha, Japão e Estados Unidos entre outros – já tinham decidido ao longo dos últimos dias exigir testes a viajantes da China, e Marrocos anunciou mesmo a proibição da entrada de viajantes vindos da China.

Em Portugal, não houve ainda decisão, mas o ministro da Saúde assegurou esta terça-feira que “tudo estará preparado” para, em caso de necessidade, serem adotadas medidas de controlo da covid-19, nomeadamente nos aeroportos para viajantes oriundos da China.

A China considera estas medidas inaceitáveis.

Relacionados

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados