Casamentos, festas e outros eventos de verão. Lembre-se da BA.5 e saiba o que fazer nesta altura

CNN , Katia Hoods
18 jul, 18:00
Ar livre. Andrew Lichtenstein/Corbis/Getty Images

A linhagem altamente transmissível Ómicron BA.5 representa pelo menos 65% das novas infeções por covid-19 nos Estados Unidos, segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA. As infeções estão a aumentar na maior parte do país, e estes números são quase certamente uma contagem por baixo, dado o número de pessoas que determinam o seu estado através de testes domiciliários que não são reportados.

Ao mesmo tempo, muitas pessoas têm muitos eventos de verão planeados, incluindo casamentos, celebrações de aniversário e encontros casuais. O que os organizadores de eventos devem ter em conta? Como podem as pessoas pensar sobre o seu próprio risco ao decidir se devem ou não marcar presença e quais as precauções a seguir? E se tiver de ir a alguma coisa - por exemplo, numa situação de trabalho - mas realmente não quiser trazer a covid de volta para a sua família? E as pessoas que já recuperaram de uma infeção — ainda têm de se preocupar com a reinfeção e os riscos de doença, incluindo a covid mais prolongada?

Para nos ajudar a responder a estas perguntas, falei com a analista médica da CNN, Leana Wen, médica de emergência e professora de política e gestão de saúde na George Washington University Milken Institute School of Public Health. É também autora de "Lifelines: A Doctor's Journey in the Fight for Public Health".

Porque é que a BA.5 é uma preocupação neste momento?

Leana Wen: A BA.5 é agora a linhagem de variante dominante aqui nos Estados Unidos e em muitas regiões do mundo. Parece ser a variante mais transmissível até agora. Também pode evadir-se parcialmente da resposta imunitária, o que significa que as pessoas que tomaram as vacinas ou que já tiveram covid-19 podem não ter muita proteção contra infeções leves ou assintomáticas.

No entanto, a vacinação protege contra doenças graves. As pessoas que não estão vacinadas devem ser vacinadas, e as que ainda não fizeram reforços devem fazê-lo. Estar atualizado em termos de vacinação ajudará a protegê-lo das consequências potencialmente graves da covid-19, que em última análise é o objetivo da vacinação.

A razão pela qual é uma preocupação agora é que há altos níveis de contaminação em muitas zonas do país. Em áreas em que o vírus circula muito, com um agente patogénico tão transmissível, as hipóteses de apanhar covid-19 são elevadas.

Isso significa que as pessoas devem cancelar eventos presenciais?

Depois de dois anos e meio de pandemia, não acho razoável pedir que as pessoas continuem a renunciar a casamentos, festas de aniversário e outras reuniões. Muitas pessoas decidiram que, desde que não fiquem gravemente doentes com covid-19, não tomarão precauções para evitá-la.

Por outro lado, muitas pessoas ainda querem evitar a covid-19. Os organizadores do eventos devem ter em conta os desejos dos participantes em encontros.

CNN: Quais são algumas coisas que as pessoas podem fazer se estão a organizar um evento?

Primeiro, reconhecer que sempre que as pessoas se reunirem, especialmente dentro de casa, haverá o risco de transmissão de coronavírus. Isto é especialmente verdade com um vírus muito contagioso, e quando há tanto vírus à nossa volta. Não é realista definir a expectativa de que ninguém pode contrair coronavírus no evento, embora se deva tentar reduzir o risco.

Algumas formas de fazer isso incluem, em primeiro lugar, tentar que o encontro seja ao ar livre. Dissemos isto ao longo da pandemia, e continua a ser verdade, que o ar livre é muito mais seguro do que o interior de edifícios. O coronavírus é transportado pelo ar, e quanto mais circulação de ar tiver, melhor.

A ventilação também importa. Um espaço parcial interior/exterior onde há boa circulação de ar será melhor do que aquele que está totalmente fechado. E um espaço com janelas e portas abertas e muito amplo será melhor do que uma pequena sala fechada cheia de gente.

Se os organizadores quiserem reduzir ainda mais o risco, podem pedir que todos façam um teste rápido em casa pouco antes do evento. Os testes rápidos não são perfeitos, mas são muito bons a detetar se alguém tem vírus suficiente nessa altura para infetar outros. O fornecimento de testes à porta é uma salvaguarda adicional, caso nem todos tenham acesso previamente aos testes.

Claro que as máscaras também podem reduzir a transmissão de vírus. Nesta altura da pandemia, pode ser difícil fazer com que as pessoas mantenham máscaras quando a maioria dos sítios já não as exige. Penso que é mais realista planear um evento ao ar livre e, se tiver de ser dentro de casa, pedir testes em vez de máscaras necessárias (embora as máscaras devam, naturalmente, ser uma opção para aqueles que querem proteção adicional).

Qual o seu conselho para indivíduos imunodeprimidos ou pessoas que só querem evitar contrair covid-19?

Quando for convidado para um evento, descubra quais as precauções que o organizador está a tomar e, em seguida, avalie os riscos em conformidade. Um evento ao ar livre, ou pelo menos um onde possa ficar sempre ao ar livre, apresenta um risco muito baixo. Um evento interior que requer testes ou máscaras também é um risco menor.

E eventos fechados que não requerem testes e máscaras? Usar máscara, uma máscara de alta qualidade - N95 ou equivalente – continua a ser protetor, mas a  máscara deve ser bem ajustada e deve mantê-la durante todo o tempo. Se for, pense em comer antes e tirar a máscara apenas quando estiver ao ar livre ou num local em que esteja sozinho.

No fim de contas, não há uma resposta clara para se deve ir - depende do quanto quer evitar a covid-19 por comparação com o benefício que obteria ao participar.

Se alguém teve covid-19, tem de se preocupar com a reinfeção? O que sabemos sobre o risco de doença prolongada com reinfeção?

A reinfeção é certamente possível. Aqueles que contraíram variantes pré-Ómicron como a Delta ou a Alfa são suscetíveis à reinfeção com linhagens da variante Ómicron. Estamos até a ter reinfeções em pessoas que contraíram a variante original da Ómicron e estão agora a contrair a BA.5.

A probabilidade de reinfeção nos primeiros dois ou três meses após a infeção inicial é muito baixa, mas aumenta depois disso. As pessoas anteriormente infetadas beneficiam da vacinação e do reforço, o que diminui ainda mais as suas hipóteses de doença grave e infeção.

Há um novo estudo, publicado online, mas ainda não revisto pelos pares, que mostra que quem teve reinfeções corre maior risco de contrair covid prolongada e de ter outras consequências potenciais a cada infeção. Estes resultados podem muito bem levar algumas pessoas a dizer que querem evitar a reinfeção tanto quanto possível.

CNN: Muitas pessoas têm de viajar para conferências, reuniões e outras situações de trabalho. Qual o seu conselho se não quiserem levar covid-19  para as famílias?

 Há duas opções. Uma delas é tentar reduzir o risco durante a viagem e nestas situações o máximo possível, incluindo limitar o tempo em locais de interior com os outros, usar máscara durante todas as interações dentro de portas, e evitar eventos em locais interiores com comida e bebida - ou pelo menos manter uma máscara durante estas situações e comer e beber separadamente noutros locais.

A segunda opção é assumir que vai ser exposto e que pode contrair covid-19 durante estas situações de trabalho e, em seguida, fazer quarentena e teste antes de interagir com os membros da família. Nem todos são capazes de o fazer - talvez tenham filhos pequenos ou outras responsabilidades familiares -, mas essa é outra opção que pode ser a adequada para algumas pessoas.

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados