Navio norte-americano que transporta mísseis entra em águas reclamadas pela China pela terceira vez numa semana

21 jul, 10:56
USS Benfold (Marinha dos Estados Unidos)

China apelida movimentações de provocação e acusa Estados Unidos de serem "destruidores da paz e estabilidade"

Um navio da Marinha dos Estados Unidos entrou em águas reclamadas pela China pela terceira vez numa semana, movendo-se pelo estreito de Taiwan, que separa a ilha da província chinesa de Fujian.

Trata-se do contratorpedeiro USS Benfold, um navio capaz de transportar mísseis teleguiados, e que os Estados Unidos dizem estar a demonstrar o “comprometimento por um Indo-Pacífico livre e aberto”, naquela que foi classificada como uma operação de "rotina" e que esteve "de acordo com a lei internacional". No entanto, Pequim parece não ver o caso da mesma forma, chamando às movimentações norte-americanas uma “provocação” e apelidando mesmo os Estados Unidos de “destruidores da paz e estabilidade”.

O estreito de Taiwan, um braço de mar com cerca de 180 quilómetros, separa a ilha de Taiwan da China continental, sendo que Pequim considera aquela zona como “águas internas”, sabendo-se que continua a reclamar soberania sobre Taiwan. A Marinha norte-americana tem um entendimento diferente, e vê aquela como uma zona de águas internacionais, pelo que não encontra problema em navegar na zona.

Os responsáveis dos Estados Unidos citam mesmo uma lei que define que as águas territoriais não vão além das 12 milhas náuticas (cerca de 22 quilómetros) a partir da costa, referindo que este tipo de operações é recorrente.

A China reagiu mal à presença do USS Benfold no estreito, tendo dito que as suas Forças Armadas acompanharam todo o percurso do navio.

“As frequentes provocações e o exibicionismo dos Estados Unidos demonstram que os Estados Unidos são destruidores da paz e da estabilidade no estreito de Taiwan e criadores de riscos para a segurança no local”, disse o coronel Shi Yi, porta-voz da zona este do Exército Popular de Libertação, que acrescentou que as tropas chinesas mantêm um “alto nível de alerta” e que vão “defender a soberania nacional e a integridade territorial de forma resoluta”.

Esta foi a terceira viagem do USS Benfold no local nos últimos sete dias, depois de outras operações no Mar do Sul da China perto de ilhas onde Pequim tem instalações militares.

Tudo isto a meio de uma possível visita da presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a Taiwan, algo que não reúne consenso na administração de Joe Biden, e que ainda estará a ser discutido. Uma viagem que até já esteve marcada para abril, mas que foi adiada depois de a responsável ter tido covid-19.

A situação agudizou-se, entretanto, sendo que não é apenas no mar que se fazem manobras militares. A presença de caças chineses em redor de Taiwan tem sido cada vez mais frequente, sendo que, em várias ações, a Força Aérea chinesa foi apanhada em movimentos considerados perigosos junto de tripulações de outros países como Austrália, Canadá ou Estados Unidos.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados