Filipe Martins: «Empate seria o resultado mais justo»

Raul Caires , Estádio dos Barreiros
3 out, 23:58
Marítimo-Casa Pia

Marítimo-Casa Pia, 1-2 (reportagem)

O treinador do Casa Pia, Filipe Martins, em declarações na sala de imprensa após a vitória diante do Marítimo (2-1), no Estádio dos Barreiros:

«Foi um jogo que podia ter caído para qualquer um dos lados. Acho que não entrámos mal e tentamos impor o nosso jogo. Podíamos ter inaugurado o marcador, não escondendo que também houve algumas situações em que o Marítimo criou algum perigo.

O primeiro golo acabou por surgir para o lado do Marítimo, mas continuámos a acreditar que estávamos a fazer um bom trabalho e demos uma boa resposta ao chegar ao golo do empate. Numa fase em que até estávamos por cima, acabou por surgir o lance do penálti e da expulsão [Zolotic] que nos deixou numa situação complicada, mas tivemos a competência de o Ricardo [Batista] o defender, o que nos proporcionou podermos ir para intervalo e pensar numa estratégia um pouco diferente do que se eventualmente tivesse sido golo.

Optámos por tentar defender bem e esperar uma saída ou outra. Sabíamos que íamos ser encostados lá atrás e apelámos ao espírito de sacrifício da equipa, e não escondo que acabámos depois por usufruir do penálti, num momento onde também não estávamos a conseguir sair com muito critério. Foi num lance de bola parada que acabámos por conseguir fazer o 2-1, o que virou o jogo para o nosso lado e, a partir desse momento, acho que se sentiu um pouco o nervosismo e o momento do Marítimo. 

Qualquer resultado que acontecesse hoje aqui não se desajustava, eventualmente, o empate seria o mais justo, mas acho que foi também, acima de tudo, a vitória de um querer de uma equipa que se viu em inferioridade numérica, a jogar fora, contra uma excelente equipa que não está a passar uma boa fase, mas acho que só uma equipa com jogadores com muito carácter é que conseguiam ganhar hoje aqui na maneira que foi.

[Surpreendido com a subida ao quarto  lugar com 17 pontos?] Não posso esconder. Tendo mais do que dois pontos por jogo nesta altura do campeonato e já ter defrontado o Benfica, ter ido ao campo do Vitória [de Guimarães] e ter vindo ao ‘caldeirão’, que não são jogos fáceis.

Se continuarmos com a mesma humildade acho que temos capacidade para fazer um campeonato tranquilo que é aquilo que queremos.

Hoje atingimos uma meta que, não sendo decisiva, porque não há conforto neste campeonato, também não escondo que a margem que estamos a criar nos permite, e sabemos que vai haver uma altura em que as coisas não nos vão sorrir da mesma forma, termos esta almofada pontual para aqueles que lutam pelos mesmos objetivos que nós. Vamos dormir no quarto lugar, que com certeza nos vai saber muito bem.

[Era grande penalidade?] Quando decidi ser treinador de futebol propus-me a mim mesmo a não comentar arbitragem, quer fosse a meu favor ou contra. Não vi o lance, mas, mesmo que visse, não iria comentar.»

Relacionados

Patrocinados