Queiroz: «Espero que o Egito seja mais feliz, mas que África vença também»

5 fev, 23:22
Carlos Queiroz expulso pelo árbitro Bakary Gassama no Camarões-Egito (Themba Hadebe/AP)

Selecionador português do Egito abordou a expulsão que o impede de estar na final contra o Senegal: «Não ofendi ninguém ou fui violento,»

Na véspera da final da CAN, Carlos Queiroz abordou a expulsão no jogo das meias-finais contra os Camarões que o impede de estar no banco contra o Senegal. O português sublinhou que não ofendeu ninguém e desejou que o Egito esteja feliz no final assim como o continente africano. 

«Após 44 anos de carreira, apesar de estar na final da CAN, não vou poder desfrutar deste fantástico desafio, mas isso não é o mais importante. Espero que o Egito seja a equipa mais feliz, mas que África vença o jogo também. Que o mundo veja um grande jogo, com fair play e três grandes equipas dentro do relvado. E no fim, África sairá a vencer», referiu, em conferência de imprensa.

Na conversa com os jornalistas Queiroz insistiu no tema. «Estou bem com a minha consciência e aqueles que estão à minha volta também dormem tranquilos. Não ofendi ninguém ou fui violento, usei sempre de boas maneiras, mas há aqueles que têm o poder de tomar as decisões e nós temos que aceitar. Fiz o meu melhor para proteger os interesses da seleção do Egito», disse, encerrando o tema.

A final da CAN entre Egito e Senegal está agendada para este domingo às 19h00. 

Relacionados

Patrocinados