PJ faz buscas na presidência do Conselho de Ministros por suspeitas de corrupção

Henrique Machado , atualizada às 13:02
29 set, 10:59

A investigação é dirigida pelo Ministério Público com a coadjuvação da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária (PJ) e o inquérito está em segredo de justiça

A Polícia Judiciária entrou esta manhã na sede da Presidência do Conselho de Ministros e está a fazer buscas em vários postos de trabalho, sendo o alvo principal da operação o próprio secretário-geral, David Xavier, que está sob suspeita de corrupção e outros crimes associados à violação de regras de contratação pública a empresas privadas, de bens e serviços para o Governo, apurou a CNN Portugal.

O secretário-geral da presidência do Conselho de Ministros é suspeito de obter benefícios pessoais, através de subornos, na aquisição para o Estado de sistemas informáticos a uma determinada empresa do norte do país - em ajustes diretos que alegadamente violam as regras de transparência.

A operação é da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, da Polícia Judiciária, que está a fazer buscas em gabinetes mas também domiciliárias - nas casas dos suspeitos da investigação, quer do lado da corrupção passiva quer do lado da corrupção ativa.

Inquérito está em segredo de justiça

De acordo com a informação avançada esta quinta-feira pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) no seu site, as buscas decorrem “em cinco diferentes locais, abrangendo sociedades comerciais, empresas de contabilidade, residências particulares e organismos de administração pública”.

Corrupção ativa e passiva, participação em negócio em negócio e falsificação de documentos motivam essas mesmas buscas, cujas diligências decorrem nas regiões de Lisboa, Coimbra, Porto e Braga.

A investigação é dirigida pelo Ministério Público com a coadjuvação da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária (PJ) e o inquérito está em segredo de justiça.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados