Justiça brasileira recusa ser intimidada "por atos criminosos" de bolsonaristas

Agência Lusa , RL
8 jan, 23:50

Presidente do Supremo Tribunal Federal fala em "página triste e lamentável de sua história, fruto do inconformismo de quem se recusa a aceitar a democracia"

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, afirmou que a instituição “não se deixará intimidar por atos criminosos e de delinquentes infensos [hostis) ao estado democrático de direito” após a sua sede, em Brasília, sofrer ataques de ‘bolsonaristas’.

“O edifício-sede do STF, património histórico dos brasileiros e da humanidade, foi severamente destruído por criminosos, vândalos e antidemocratas. Lamentavelmente, o mesmo ocorreu no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto. As sedes dos três poderes foram vilipendiadas”, pode ler-se no comunicado assinado por Weber.

“O Brasil viveu neste domingo - 8 de janeiro de 2023 - uma página triste e lamentável de sua história, fruto do inconformismo de quem se recusa a aceitar a democracia”, acrescentou.

Desde que a manifestação de apoiantes do ex-presidente Jair Bolsonaro foi anunciada, Rosa Webwe manteve contacto com as autoridades de segurança pública, do Ministério da Justiça e do Governo do Distrito Federal.

“Os agentes do STF garantiram a segurança dos ministros [juízes] da Corte [do tribunal], que acompanharam os episódios com imensa preocupação. O STF atuará para que os terroristas que participaram desses atos sejam devidamente julgados e exemplarmente punidos. O prédio histórico será reconstruído”, afirmou Weber.

“A Suprema Corte não se deixará intimidar por atos criminosos e de delinquentes infensos ao estado democrático de direito”, concluiu.

Centenas de apoiantes do ex-Presidente brasileiro Jair Bolsonaro invadiram hoje a sede do Congresso Nacional, em Brasília, numa manifestação que terminou em ações violentas, pedindo uma intervenção militar para derrubar o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, uma semana após a sua tomada de posse.

Os manifestantes ultrapassaram as barreiras policiais e subiram a rampa que dá acesso à cobertura das sedes da Câmara dos Deputados e do Senado.

A polícia brasileira usou gás lacrimogéneo para tentar, sem sucesso, travar os manifestantes, que estavam concentrados no exterior do edifício.

Imagens divulgadas pelos 'media' locais mostram que a sede dos prédios do STF, do Congresso e do Executivo, nomeadamente o Palácio do Planalto, já foram controlados pelos agentes de segurança que estão no local.

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados