Tratamento para perder peso provoca "surto" de botulismo na Europa

13 mar 2023, 19:31
Médicos (imagem Getty)

Botulismo é "uma doença neuropalítica grave" que pode levar à morte

O Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) emitiu um alerta para um "surto" de botulismo na Europa, na sequência de um procedimento estético para perder peso que está a ser muito procurado na Turquia.

De acordo com o El País, este tratamento - que tem um custo de cerca de 8.000 euros em Espanha e 2.000 euros na Turquia - trata-se de uma injeção intragástrica da toxina butolínica que relaxa os músculos abdominais e dá uma sensação de saciedade, reduzindo assim a ingestão de alimentos.

Até ao momento, o ECDC já detetou 14 casos de botulismo na Europa - 12 na Alemanha, um na Áustria e outro na Suíça, de acordo com o mais recente Relatório de Ameaças de Doenças Transmissíveis. Na Alemanha, todos os casos foram detetados em adultos que efetuaram tratamentos que envolveram 1.000 a 1.500 unidades de toxina botulínica (BoNTs) na Turquia entre os dias 22 e 25 de fevereiro.

Na Áustria, o único caso detetado até ao momento diz respeito a uma mulher entre os 25 e os 44 anos de idade, que recebeu uma injeção intragástrica da toxina butolínica na Turquia a 22 de fevereiro de 2023. A mulher acabou por ser internada com sintomas de botulismo, nomeadamente fraqueza muscular e dificuldades respiratórias.

O caso detetado na Suíça é designado no relatório como "um caso suspeito de botulismo" e foi identificado numa mulher na faixa etária dos 45 aos 64 anos, "provavelmente associado a uma injeção intragástrica da toxina butolínica, também administrada na Turquia a 22 de fevereiro" passado.

Todos os pacientes dizem ter recebido o tratamento na mesma clínica na Turquia, que não é nomeada pelo documento.

Os especialistas acreditam que este número pode ser apenas a ponta do iceberg deste "surto", como é designado no relatório, uma vez que "é possível que alguns casos ainda não tenham sido identificados". Por isso, o ECDC apela para que "todos os indivíduos que tenham viajado para Istambul, Turquia, para efetuar tratamentos que envolvam uma injeção intragástrica da toxina botulínica e que experienciem sintomas consistentes com botulismo (fraqueza, dificuldades respiratórias e/ou a engolir) procurem ajuda médica o mais rápido possível".

Questionada pela CNN Portugal sobre se em Portugal há registo de algum caso relacionado com este surto, fonte da Direção-Geral da Saúde (DGS) adianta que "os dois últimos casos de botulismo notificados em Portugal (no verão de 2022 – caso importado - e janeiro de 2023) estão relacionados com uma eventual exposição alimentar", pelo que "não estão (...) relacionados com o contexto descrito no atual alerta".

O ECDC caracteriza o botulismo como "uma doença neuropalítica grave" causada pela bactéria Clostridium botulinum, que produz esporos que libertam substâncias tóxicas - a toxina botulínica - para o sistema nervoso humano, provocando um quadro de paralisia dos músculos, como insuficiência respiratória, podendo mesmo resultar na morte.

"Embora seja considerada uma doença rara, os indivíduos que recebem injeções da toxina butolínica com propósitos estéticos (por exemplo, para eliminar rugas) ou para tratamentos terapêuticos podem desenvolver butolismo se receberem doses excessivas [da toxina butolínica]", refere-se no documento.

Relacionados

Saúde

Mais Saúde

Mais Lidas

Patrocinados