Desligaram as máquinas. Anne Heche morreu aos 53 anos

CNN , Scottie Andrew e Chloe Melas
15 ago, 14:40
Anne Heche (AP Photo)

Anne Heche, uma atriz fascinante cuja versatilidade alimentou uma carreira admirável na televisão e no cinema ao longo de quatro décadas, morreu aos 53 anos.

"Anne Heche foi pacificamente retirada do suporte à vida", disse um representante da sua família durante a noite de domingo à CNN, que mais tarde confirmou o falecimento da atriz.

O automóvel de Heche embateu contra uma casa em Los Angeles e incendiou-se a 5 de Agosto. Após o acidente, Heche sofreu uma "grave lesão cerebral", que privou o seu cérebro de oxigénio, entre outras lesões críticas na sequência do acidente, disse a sua família e amigos numa declaração à CNN.

Heche foi uma atriz premiada que apareceu em filmes como o remake de "Psyco" de 1998, e a comédia romântica rom-com "Seis Dias, Sete Noites" ao lado de Harrison Ford. Realizou também um segmento de um filme de 2000 da HBO, "If These Walls Could Talk 2 / Perseguidas", e, no seu livro de memórias de 2001, revelou as suas lutas ao longo da vida com doenças mentais depois de ter sido abusada pelo seu pai.

Em 1987, Heche fez a sua estreia na televisão na série "Another World", um papel pelo qual ganhou um Emmy. Após deixar o programa, começou a sua carreira cinematográfica, aparecendo em filmes aclamados, incluindo "Donnie Brasco" e "Wag the Dog / Manobras na Casa Branca".

Quando Heche e Ellen DeGeneres começaram a namorar em 1997 -- por volta da mesma altura em que DeGeneres assumiu a sua homossexualidade na vida real e na sua sitcom -- rapidamente se tornaram num dos casais do mesmo sexo mais famosos do mundo. As duas separaram-se em 2000.

No ano passado, Heche disse à Page Six que a sua relação com DeGeneres resultou na perda de papéis, chamando-se a si própria a "paciente zero de cultura cancelada".

Ainda assim, disse ela, considerou-se "parte da mudança" que ajudou a normalizar as relações entre pessoas do mesmo sexo na cultura mainstream.

"Sou parte disso", disse ela à Page Six. "É uma medalha de honra".

Nas suas memórias de 2001, "Call Me Crazy" [à letra, "Chamem-me Louca"], revelou que o seu pai abusou sexualmente dela quando era criança, e sofreu doenças mentais durante grande parte dos primeiros 30 anos da sua vida. Heche contou ao Larry King, da CNN, numa entrevista nesse ano, que tinha uma personalidade fragmentada entre si própria e uma personalidade que inventou quando criança para se adaptar ao abuso.

"Tive de viver muita vida para chegar ao lugar onde estou agora", disse ela a King. "Tive de ver ver verdades e trabalhar através da vergonha, e estou muito grata por cada passo que dei. Não creio que pudesse ter lidado com isso mais cedo".

Em 2004, Heche apareceu na Broadway em "Twentieth Century", para a qual foi nomeada para um Tony. Em anos mais recentes, Heche voltou à televisão, aparecendo em séries como "The Brave", "Quantico" e "Chicago P.D.". Em 2020, ela competiu na 29ª temporada de "Dancing with the Stars".

Os colegas de Hollywood de Heche responderam às notícias do seu acidente com mensagens de apoio. O seu ex-parceiro e co-protagonista em "Men in Trees", James Tupper, de quem teve um dos seus dois filhos, escreveu na Instagram: "Pensamentos e orações por esta encantadora mulher, atriz e mãe, esta noite Anne Heche. Nós amamos-te".

Artes

Mais Artes

Patrocinados