Champions da Ásia: Jesus leva a melhor na visita a José Morais

15 fev, 18:18
Al Hilal vence Sepahan, no Irão (DR)

Al Hilal apenas consumou a reviravolta para lá do minuto 90, no Irão. Os anfitriões terão a lamentar oportunidades desperdiçadas

O Al Hilal de Jorge Jesus e Rúben Neves venceu, por 1-3, na tarde desta quinta-feira, na visita aos iranianos do Sepahan, em encontro da primeira mão dos oitavos de final da «Champions» da Ásia.

Abdicando de Koulibaly, Jorge Jesus apostou no médio português, no guardião Bono, nos sérvios Mitrovic e Milinkovic-Savic, e ainda no avançado Malcom para as vagas de estrangeiros.

Por sua vez, José Morais – e o adjunto Hugo Almeida – apenas apostou em Dabo, médio do Burkina Faso, de princípio, e relegou o avançado ganês Isaah, emprestado pelo Desp. Chaves, para o banco.

Reveja, aqui, o filme deste jogo.

Todavia, este revelou-se um desafio muito complicado para o Al Hilal. Na primeira parte, a equipa de Jorge Jesus apenas rematou por quatro ocasiões, sendo que apenas uma jogada visou a baliza contrária. Açambarcando a posse (76 por cento), o Al Hilal era incapaz de derrubar a muralha amarela, apesar das investidas de Malcom, pela esquerda.

Por sua vez, a turma de José Morais apostava em contra-ataques, com passes bombeados e cruzados, mas os avançados eram «apanhados» em fora de jogo. Ainda assim, à sexta tentativa, os defesas sauditas confiaram que nova posição irregular estaria para chegar.

Mas, na verdade, a corrida do lateral Ramin Rezaeian havia começado antes do meio-campo, pelo que, por míseros milímetros, estava em posição legal. Livre de marcação, o iraniano «fuzilou» a baliza do marroquino Bono, num «volley» cruzado. À primeira oportunidade, os anfitriões inauguraram o marcador, para deleito dos 75 mil adeptos, e Rezaeian atingiu o quinto golo na Champions.

Até ao intervalo, o Al Hilal acusou o golo, somando decisões precipitadas e revelando ansiedade, até na defesa. Por isso, no descanso, Jorge Jesus estava obrigado a encontrar soluções para evitar a surpresa.

 

Malcom equilibra, Mitrovic decide

Na verdade, para o segundo tempo, Jorge Jesus insistiu nas mesmas ideias de ataque, confiando que, em algum momento, os adversários falhariam no posicionamento defensivo. Contudo, à passagem dos 57m, Ahmadzadeh, no limite do fora de jogo, rematou cruzado para uma parada vistosa de Bono.

Na sequência do lance, o guardião marroquino lançou o contra-ataque, pela esquerda. Na outra extremidade do campo, Niazmand ainda foi capaz de travar o remate de Mitrovic, mas, face à recarga de Malcom, o iraniano deixou o esférico passar entre as pernas. Em simultâneo, José Morais terá ficado desagradado com a passividade – inédita – dos defesas.

 

Curiosamente, quando se adivinhava uma avalanche ofensiva dos sauditas, a verdade é que foram os anfitriões que somaram oportunidades por Ahmadzadeh. Ora com bola no pé, ora pelo ar, o médio, de 31 anos, tentava capitalizar os cruzamentos pela direita, mas sem acerto.

Estas, sublinhe-se, foram as derradeiras oportunidades para os iranianos retomarem a dianteira do marcador, isto porque, aos 77m, o central Daneshgar – que assistiu para o golo inaugural – foi imprudente num carrinho sobre Milinkovic-Savic, atingindo o sérvio com os pitões no tornozelo.

Neutralizado o adversário, o conjunto saudita instalou-se nas imediações da grande área iraniana. Apesar do desespero, Mitrovic, aos 90+4m, e Al Hamdan, aos 90+8m, consumaram a reviravolta e castigaram as oportunidades perdidas por Ahmadzadeh. De cabeça, o sérvio anotou o sexto golo na Champions e desbloqueou o encontro, sentenciado pelo médio saudita.

 

Assim, José Morais encaixa a quarta derrota consecutiva, após três desaires no campeonato, que valeram a queda para a vice-liderança. A segunda mão dos «oitavos» está agendada para as 18h da próxima quinta-feira (22 de fevereiro).

Por sua vez, o líder invicto da Liga saudita, recebe o Al Raed na tarde deste domingo.

Relacionados

Mais Lidas

Patrocinados