Português lança vinho a 900 euros a garrafa

ECO - Parceiro CNN Portugal , Susana Pinheiro
28 out, 12:35
Vinho Saturn

"Nos próximos três meses antecipamos vender 30 a 35% de toda a produção do Saturn. Estamos a falar de um volume de negócios de cerca de meio milhão de euros", avança Cláudio Martins

Ainda o “Saturn”, o terceiro da série Vinhos do Outro Mundo, produzido na Alemanha, não tinha sido lançado e o empresário Cláudio Martins e o produtor alemão Ernest “Erni” Loosen já tinham vendido a investidores portugueses 50 garrafas a 750 euros cada, menos 150 do que os atuais 900 euros. O que mostra que, apesar da crise económica, existe mercado em Portugal para este tipo de produtos de “luxo, raros, excêntricos e mais cobiçados” e ao ponto de “haver cada vez maior procura“, afirma Cláudio Martins. O português antecipa mesmo faturar meio milhão de euros em vendas até ao final deste ano.

Apesar da inflação, do aumento dos custos e da habitação, ainda há investidores portugueses com poder de compra suficiente para adquirir estes produtos de luxo. Feitas as contas, só faltam vender 100 das 500 garrafas do “Uranus”, o segundo vinho desta série que foi lançado, em 2022, em Madrid, a 1.700 euros a garrafa. “Nas últimas semanas registámos um aumento de vendas do Uranus”, produzido na Terroir al Limit, de Priorat, Catalunha, adianta o consultor internacional de vinhos e fundador da Martins Wine Advisor.

Já o primeiro vinho, “Júpiter”, a mil euros a garrafa, numa parceria com o produtor Pedro Ribeiro, da Herdade do Rocim, no Alentejo, foi vendido num ápice, em 2021. “Já não temos garrafas para vender”, afiança Cláudio Martins em declarações ao ECO/Local Online, antes da apresentação esta sexta-feira, num evento privado, aos membros do Clube Martins Wine Advisor, criado em 2021 com o lançamento do Júpiter. E cuja identidade não pode desvendar.

Nos próximos três meses, antecipamos vender 30 a 35% de toda a produção do Saturn. Estamos a falar de um volume de negócios de cerca de meio milhão de euros.

Cláudio Martins

CEO da Martins Wine Advisor

Ao todo, foram produzidas 1.780 garrafas de 0,75 milímetros a 900 euros cada, e ainda 60 Magnuns, pelo valor de 2.000 euros cada. “Nos próximos três meses, antecipamos vender 30 a 35% de toda a produção do Saturn. Estamos a falar de um volume de negócios de cerca de meio milhão de euros“, adianta o empresário, que se apaixonou pelo mundo vinícola, quando, na juventude trocou a Serra da Estrela por Londres, Inglaterra. Embaixador do vinho bordalês Liber Pater, o português chegou a ser distinguido pela revista britânica CEO como “um dos 20 mais dinâmicos CEOs do Reino Unido, em 2020.

Apresentado numa caixa impressa em 3D, “Saturn” é o primeiro branco da coleção de Vinhos do Outro Mundo, tantos quantos os planetas do sistema solar. Até à data tem sido lançado um vinho por ano, mas o empresário está a ponderar apresentar dois vinhos por ano, produzidos nas regiões de Bordéus, Champagne, Toscana, Napa Valley, Mosel, Geórgia e o Douro.

Lançamento do vinho “Saturn”, de 900 euros a garrafa

“O Saturn é o vinho mais antigo do portfólio, é de 2013, um Riesling seco, originário das vinhas de pé franco com mais de 130 anos do famoso vinhedo Erdener Treppchen, na região alemã Vale do Mosel“, conhecida pelas vinhas e pelos melhores vinhos alemães, sobretudo os Rieslings, começa por descrever.

“Depois de oito anos nas suas leveduras no barril Fuder, o vinho foi retirado das suas borras e foi engarrafado sem colagem e filtração, desenvolvendo um equilíbrio perfeitamente harmonioso”, completa. Agora, “Saturn” vai andar nas bocas do mundo.

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados