"Não tive dúvidas de que nunca ninguém poria em causa as eleições": Marcelo quebra silêncio após 12 dias sem aparecer

7 fev, 17:51

O Presidente da República reitera que as reivindicações das forças de segurança são legítimas, mas sublinha que os protestos devem assentar no “apoio dos portugueses”, sem colocar em causa a segurança da população. “É preciso que as forças de segurança vão encontrado formas que correspondam a este sentimento de segurança dos portugueses”, defende, em declarações aos jornalistas.

Marcelo Rebelo de Sousa diz ainda ter ficado satisfeito com o esclarecimento das forças de segurança quanto à ameaça de um boicote às eleições legislativas antecipadas para 10 de março. “Não tive dúvidas de que nunca ninguém poria em causa as eleições”, afirma, argumentando que “não há maior insegurança do que dizer que pode não haver eleições”.

Questionado pelos jornalistas sobre eventuais cenários pós-eleitorais, o Presidente da República diz não querer especular sobre possíveis acordos, sublinhando que, em primeiro lugar, é preciso ouvir os portugueses, apelando ao voto nas legislativas.

Decisão 24

Mais Decisão 24

Mais Vistos

Patrocinados