“Foi um azar”. Ataque de vespa em Évora: descartado cenário de negligência devido a praxe

19 set 2023, 14:00
Vespa (Pexels)

Sete pessoas sofreram ferimentos ligeiros. Outras 26 foram assistidas no Jardim dos Colegiais. Ninho estava escondido no chão

O Serviço Municipal de Proteção Civil de Évora e a Associação Académica da Universidade de Évora descartam que o ataque de vespa comum a estudantes tenha sido resultado de um ato de negligência durante atividades de praxe.

As duas estruturas asseguram ter-se tratado de um acidente, dado a posição do próprio ninho, que estava escondido num buraco no chão.

O episódio teve lugar no Jardim dos Colegiais, situado no centro histórico de Évora. Sete pessoas sofreram ferimentos ligeiros e outras 26 foram assistidas na segunda-feira à noite.

“Não poderia ter sido evitado. O ninho estava metido num buraco no chão e, à noite, não o poderiam ver. Não foi um ato negligente. Foi um azar terem-no pisado”, resume à CNN Portugal Joaquim Piteira, comandante do Serviço Municipal de Proteção Civil de Évora.

Este responsável explicou ainda que o ninho de vespa comum foi “anulado” logo naquela noite com recurso a inseticida. Questionado se esse controlo de ninhos é responsabilidade daquele serviço, explicou: “Quando são identificados, todos eles em tempo são anulados. Quer seja de vespa comum, quer seja de outras espécies”.

A CNN Portugal contactou também Henrique Gil, presidente da Associação Académica da Universidade de Évora, que não está ligada às atividades de praxe. Estas são responsabilidade dos próprios cursos, neste caso de Enfermagem e Relações Internacionais.

“Aconteceu com os estudantes, como podia ter acontecido com qualquer pessoa”, afirma o porta-voz. Henrique Gil diz que os estudantes com quem falou desvalorizaram a situação, não tendo existido qualquer tipo de denúncia à associação de estudantes. “Foi um mero acidente. Pisaram sem saber o que lá estava”, resume.

Os alunos foram assistidos no local pelo médico da viatura médica de emergência e reanimação (VMER). Sete deles foram transportados para o hospital da cidade.

As operações de socorro mobilizaram os Bombeiros de Évora, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a PSP e o Serviço Municipal de Proteção Civil, com um total de 27 operacionais, apoiados por 12 viaturas, incluindo uma VMER.

A CNN Portugal contactou também a PSP de Évora e os Bombeiros de Évora, que não tiveram disponibilidade imediata para dar mais informações sobre este caso.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados