Vem aí a Threads. Tudo o que se sabe sobre a nova app da Meta que vai rivalizar com o Twitter

4 jul 2023, 11:26
Meta (imagem Getty)

Deverá ser lançada já na próxima quinta-feira, dia 6, e representa o mais recente episódio na rivalidade entre Elon Musk e Mark Zuckerberg. Após os CEO's do Twitter e da Meta anunciarem no mês passado um "combate de jaula", Zuckerberg lança o primeiro golpe no que poderá ser o primeiro grande concorrente do Twitter.

Threads é a mais recente aplicação anunciada pela Meta, dona do Facebook, Instagram e Whatsapp. A nova aplicação pretende rivalizar com o Twitter de Elon Musk e pode ser lançada já na próxima quinta-feira, dia 6.

A Threads já está disponível para pré-venda na App Store da Apple e será vinculada ao Instagram, pelo que os utilizadores poderão portar o seu nome de utilizador e seguidores de uma plataforma para a outra.

Em linha com o Twitter, a aplicação aparenta ser de acesso gratuito mas sem restrições quanto ao número de publicações que os utilizadores podem ver e interagir, de acordo com a BBC News.

"Threads é onde as comunidades se reúnem para discutir tudo desde os tópicos que sejam hoje do seu interesse, até ao que será tendência amanhã", pode ler-se na descrição na App Store. A nova plataforma será assente em texto, tal como o Twitter, sendo que os utilizadores poderão fazer publicações às quais os restantes utilizadores podem responder, gostar ou partilhar.

Ainda não está claro se a Threads estará disponível para Android.

A Meta é conhecida por deliberadamente replicar as ideias das outras empresas numa tentativa de defender a sua presença no mercado. No passado, a empresa de Mark Zuckerberg criou os Stories, uma adaptação do uso de vídeos verticais temporários do Snapchat. Por sua vez, mais recentemente, a empresa adaptou ainda o conceito inerente do TikTok de vídeos curtos através dos Reels.

O novo lançamento da Meta representa um desafio para o Twitter e surge numa altura em que muitos utilizadores procuram alternativas à plataforma comprada por Elon Musk em outubro, por 44 mil milhões de dólares. Desde que assumiu a liderança, Elon Musk adotou uma postura mais relaxada no que diz respeito à moderação de conteúdo, uma abordagem que levou utilizadores a sair da plataforma, mas também empresas, que optaram por deixar por deixar de pagar por publicidade no Twitter.

Nos últimos tempos têm sido várias as plataformas que têm nascido numa tentativa de substituir o Twitter, como é o caso da Truth Social, a plataforma lançada pelo antigo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ou ainda as plataformas Mastodon e Bluesky. No entanto, a Meta dispõe dos recursos e da experiência necessária para competir com o Twitter, além de que a Threads estará conectada a centenas de milhões de contas através do Instagram.

Em termos de apresentação, as imagens divulgadas pela Meta mostram uma interface semelhante à do Twitter. No entanto, em linha com outras aplicações da dona do Facebook, a Threads também irá recolher dados pessoais como a localização, compras e histórico de navegação, avança a BBC News.

O lançamento da Threads é o mais recente episódio numa rivalidade entre os respetivos CEO’s da Meta e do Twitter. No mês passado, Elon Musk anunciou no Twitter estar preparado para um combate de jaula com Mark Zuckerberg, que recentemente se manifestou como um entusiasta por jiu-jitsu. No entanto, não há certezas se o combate entre os multimilionários irá, efetivamente, acontecer.

Relacionados

Empresas

Mais Empresas

Mais Lidas

Patrocinados