Ataque a igreja de Istambul faz pelo menos um morto

CNN Portugal , MM - notícia atualizada às 21:31
28 jan, 12:35
Explosão em Istambul (AP Photo)

Dois homens com o rosto escondido entraram no edifício e atacaram as pessoas que assistiam à missa

Pelo menos uma pessoa morreu, este domingo, na sequência de um ataque à igreja católica italiana de Istambul, na Turquia. Eram 11:40 locais (08:40 em Lisboa), quando dois homens armados e que usavam máscaras entraram na igreja de Santa Maria, no bairro de Büyükdere, distrito de Sarıyer, e agrediram os fiéis que assistiam às cerimónias de domingo.

A informação foi avançada pelo ministro do Interior turco, Ali Yerlikaya, numa publicação na rede social X, antigo Twitter.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, apresentou as suas condolências à família da vítima, assegurando que foram tomadas todas as "medidas necessárias" para encontrar os responsáveis.

Erdogan, que falou por telefone com o padre da igreja e com as autoridades locais, garantiu que tudo estava a ser feito para encontrar os atacantes "o mais rapidamente possível", segundo a presidência, citada pela agência AFP.

E, de facto, a polícia turca deteve ao início da noite, duas pessoas suspeitas de autoria do ataque, revelou o ministro do Interior turco, Ali Yerlikaya.

“Dois supostos assassinos que mataram Tuncer Cihan durante a missa de domingo na Igreja de Santa Maria em Sariyer foram presos”, escreveu Ali Yerlikaya na sua página na rede social X.

 O Papa Francisco afirmou este domingo a sua "proximidade" à igreja católica italiana de Istambul. 

"Expresso a minha proximidade à comunidade da Igreja de Santa Maria Draperis em Istambul, que durante a missa sofreu um ataque armado que deixou uma pessoa morta e vários feridos", disse o líder da igreja católica após a oração do Angelus na Praça de São Pedro, no Vaticano.

Também o ministro italiano dos Negócios Estrangeiros, Antonio Tajani, manifestou a sua "firme condenação" do ataque a uma igreja católica italiana em Istambul, que causou um morto.

"Expresso as minhas condolências e a minha firme condenação do cobarde ataque perpetrado contra a igreja de Santa Maria", escreveu Antonio Tajani no X.

O responsável disse estar "a acompanhar a situação com a embaixada em Ancara e o consulado em Istambul" e acrescentou estar "certo de que as autoridades turcas irão prender os responsáveis".

Grupo terrorista Estado Islâmico reivindica ataque a igreja católica em Istambul

Algumas horas depois, o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria do atentado.

Em comunicado, a agência Amaq anunciou que “dois combatentes do Estado Islâmico levaram a cabo um ataque armado contra uma igreja cristã” em Istambul, quando os fiéis “cumpriam os seus rituais dominicais”.

O ataque matou uma pessoa e feriu outra e foi levado a cabo “em resposta ao apelo dos líderes do Estado Islâmico para atacar judeus e cristãos em todo o lado”, acrescenta a Amaq citada pela agência de notícias espanhola EFE.

O ataque ocorreu na Igreja Católica de Santa Maria, no bairro de Sariyer, esta manhã durante a missa dominical.

O último ataque na Turquia atribuído ao jihadismo aconteceu na noite de ano novo de 2016 na discoteca Reina, em Istambul.

Em declarações aos jornalistas, o presidente da Câmara de Istambul, Ekrem Imamoglu, apresentou as suas condolências e o seu apoio às minorias religiosas da cidade, que, tal como toda a Turquia, é maioritariamente muçulmana.

"Não existem minorias nesta cidade ou neste país. Somos todos verdadeiros cidadãos", afirmou, citado pela AP.

O sobrinho da vítima mortal, em declarações à agência, identificou-o como Tuncer Cihan, referindo que o alvo era a igreja e não o seu tio.

"Era um indivíduo com deficiência mental que não tinha qualquer ligação à política ou a organizações [criminosas]. Foi lá a convite e foi vítima do destino", disse Cagin Cihan.

A igreja é gerida por uma ordem italiana de frades franciscanos.

Mundo

Mais Mundo

Mais Lidas

Patrocinados