CNN Internacional encontrou um paraíso na Terra “que lembra um conto de fadas”: fica em Portugal

CNN , Jeanine Barone
29 mai, 09:00

Se entrasse este sábado na página principal do site da CNN internacional, seria esta imagem que veria: “O paraíso vulcânico no meio do Atlântico”. Um longo trabalho a mostrar maravilhas de Portugal. Leia aqui a versão traduzida que o mundo inteiro pode ler no site da televisão norte-americana, de que a CNN Portugal é parceira.

Açores: nove joias insulares com um passado vulcânico e um presente mágico

Viajar para um paraíso na Terra não requer necessariamente uma jornada longa, árdua ou perigosa.

Na verdade, uma paisagem intocada, que lembra um conto de fadas, fica a apenas cinco horas de Boston e cerca de quatro horas do Reino Unido. É uma terra onde as quedas de água descem em cascata por iridescentes encostas verdes; onde as estradas são cercadas por sebes de hortênsias; e onde costas escarpadas são cobertas por praias de areia preta.

Aqui prevalece a qualidade de perdida no tempo, seja um povoado de casas de pedra ligadas por caminhos de paralelepípedos, ou moradores locais que permanecem fiéis às antigas formas de plantar em planícies férteis no vale de falésias escarpadas, ou passeios de carroças puxadas por cavalos para entregar o leite à queijaria.

Bem-vindo aos Açores, um colar de nove ilhas encantadoras que se amontoam no meio do Atlântico e fazem parte de Portugal. O arquipélago é uma região autónoma localizada a cerca de mil milhas [1.600 quilómetros] do continente português. As piscinas termais das ilhas, caldeiras exuberantes, lagos de crateras e gêiseres fumegantes são testemunhos das violentas forças vulcânicas que as originaram, mas cada ilha tem um caráter distinto, onde a natureza no seu estado mais selvagem prevalece.

A Azores Airlines voa sem escalas para Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, a partir de Boston, e para as Lajes, na Terceira, com escala em Ponta Delgada durante todo o ano. A United Airlines (a partir de Newark) e a Azores Airlines (a partir do aeroporto JFK, em dias selecionados) têm ambas serviço de verão sem escalas para Ponta Delgada. A British Airways oferece serviço de verão sem escalas aos sábados.

Depois de um salto direto para um arquipélago aparentemente a um mundo de distância, aqui está o que esperar em cada ilha:

ILHAS OCIDENTAIS

Flores

Flores é a ilha mais ocidental dos Açores. Embora o seu nome seja "flores", são os abundantes corpos de água que mais definem esta ilha verde-esmeralda que é frequentemente envolta pela neblina.

Há sete lagos de crateras salpicando o seu interior ondulado, incluindo a Lagoa Negra verde-floresta que fica bem ao lado da Lagoa Comprida azul-cobalto, com um miradouro perfeitamente posicionado entre elas.

Lado a lado, a Lagoa Negra, à esquerda, e a Lagoa Comprida formam um cenário marcante nas Flores. Adobe Stock

Entre as paredes de penhascos verdejantes da ilha pingando com cascatas, o poderoso Poço do Bacalhau desce 300 pés [91 metros] até uma pequena piscina para nadar.

Os visitantes que se hospedam na Aldeia da Cuada, uma aldeia centenária convertida numa acomodação atmosférica de casas de pedra decoradas com antiguidades locais e colchas de retalhos, desfrutarão de vistas de cascatas em queda livre na porta dos fundos. Este santuário abraça os prazeres simples da vida, incluindo a observação de estrelas a partir de um jardim privado.

 

Corvo

Com menos de 500 habitantes e uma cidade solitária localizada na única parcela de terra ao nível do mar, o Corvo é a menor (e mais remota) ilha dos Açores, com apenas 6,5 quilómetros de comprimento e nem 5 quilómetros de largura.

A observação de pássaros é uma atividade popular no pequeno Corvo. Jakub/Adobe Stock

Ainda assim, esta pequena ilha (remanescente de um antigo vulcão a cerca de 16 quilómetros ao norte das Flores) é um paraíso renomado para observadores de pássaros, que gravitam aqui especialmente no outono, na esperança de avistar cucos de bico amarelo, cagarras e muitas outras espécies.

ILHAS CENTRAIS

Faial

Durante centenas de anos, os veleiros fizeram do porto capital da Horta - conhecido pelo seu paredão pintado arrojado - uma escala, incluindo aqueles que navegaram entre o Novo e o Velho Mundo nos séculos XVI e XVII.

Ancorando os seus iates, muitos capitães e tripulantes atuais ainda chegam ao Peter Cafe Sport, nas proximidades, um estabelecimento de mais de 100 anos onde recordações náuticas cobrem o interior aconchegante. O seu museu, dedicado à arte de esculpir e gravar dentes e ossos de baleia, contém itens que datam do final do século XIX.

Hortênsias vívidas fazem fronteira com estradas ao longo da rota para o extremo oeste do Faial. /Adobe

Globos do tamanho de bolas de futebol de hortênsias azul-celeste fazem fronteira com estradas e casas emolduradas ao longo da rota para o extremo oeste da ilha. Esta área desolada e monocromática contrasta fortemente com a vibrante e colorida Horta.

Um vilarejo inteiro está enterrado em cinzas negras como carvão e outros materiais vulcânicos expelidos há décadas por uma longa erupção submarina. O Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos tem exposições que contam as histórias deste e de outros vulcões.

 

Pico

O monte Pico, com quase 2.400 metros de altura, e ponto mais alto de Portugal, domina a paisagem desta ilha.

O Monte Pico é o pico mais alto de Portugal com 2.351 metros. /Adobe Stock

Aqui, parece que quase tudo é construído de pedra de lava de basalto preto, incluindo o mosaico de currais que cercam as vinhas locais, que as aqueceram e as protegeram das brisas salgadas e tempestuosas da ilha durante séculos.

É o solo vulcânico fértil e rico em minerais que colocou o Pico na lista de todos os verdadeiros enófilos. A Cooperativa Vitivinícola, uma cooperativa de vinhos com mais de 70 anos na Madalena, capital da ilha, oferece provas informais que incluem o verdelho, um branco fresco produzido a partir de uvas endémicas desta ilha.

De acordo com a sensibilidade próxima da terra do Pico, o resort Lava Homes, semelhante a uma vila, contou com pedra e madeira locais na construção de suas 14 vilas contemporâneas, com muitas janelas.

 

São Jorge

Serpenteando por uma paisagem de urze selvagem e cedro japonês, os caminhos cénicos terminam nas fajãs, ou planícies férteis escarpadas que foram formadas por deslizamentos de terra e antigos fluxos de lava.

Uma das mais sedutoras é a Fajã de Santo Cristo, acessível através de um caminho de burros de cerca de dez quilómetros de comprimento que desce do cume coberto de nuvens da Serra de Topo. O percurso serpenteia por antigos moinhos de água e portões de ramos retorcidos até à aldeia isolada à beira-mar Fajã de Santo Cristo. Aqui os moradores cultivam jardins em terraços que cultivam batata doce, couves, espinafre e tomate.

A Fajã da Caldeira de Santo Cristo é uma planície fértil na base de uma encosta íngreme.  DanitaDelimont.com/Adobe Stock

Esta costa atrai surfistas que vêm para as ondas de point break. A ilha, no entanto, é mais conhecida por uma iguaria culinária: o queijo de leite de vaca picante.

O Queijo São Jorge ainda é produzido por métodos que remontam desde há séculos. Este queijo delicioso - pode ser regado com mel - é servido em restaurantes não só em São Jorge (como Fornos de Lava), mas também nas outras ilhas dos Açores e em Portugal Continental.

 

Graciosa

Muitos dos pontos turísticos emblemáticos da Graciosa proporcionam uma aprendizagem dramática sobre as origens vulcânicas da ilha.

Quase 200 degraus descem em espiral até à Furna do Enxofre, uma caverna de lava de um vulcão ativo. É perturbador descobrir que, antes da construção dessa escada, os moradores desciam com cordas para ter acesso a água potável para o gado.

A Furna do Enxofre na ilha Graciosa é uma impressionante gruta lávica. /Adobe

A visão no fundo é surreal. Em contraste com o lago na base repleto de água fria da chuva, o ar da caverna está saturado com o cheiro de enxofre, e fumarolas de lama borbulham e fervem a 82º Celsius. A luz do sol entra pelos óculos no teto, revelando cristais amarelos brilhando nas encostas crivadas de pedregulhos.

Na vila termal do Carapacho, a energia geotérmica é utilizada para aquecer as piscinas do resort Termas do Carapacho, que oferece inúmeros tratamentos, incluindo uma massagem com pedras quentes com rochas vulcânicas da ilha.

 

Terceira

Enquanto o basalto negro do Pico dá a essa ilha a aparência de pinceladas pretas e brancas, a Terceira usa em muitos aspetos uma paleta de lápis de cor Crayola.

Fachadas coloridas nas ruas da capital, Angra do Heroísmo, e capelas pintadas de forma chocante - mesmo em tons de violeta - salpicam a paisagem verdejante.

Angra do Heroísmo, Património Mundial da UNESCO, apresenta edifícios históricos pintados de cores vivas. Getty Images

Na costa norte, a vila de Biscoitos mostra as suas origens vulcânicas com piscinas naturais de todos os tamanhos e profundidades perfurando a lava negra endurecida que se estende pelo porto. Além disso, toalhas de praia, guarda-sóis e espreguiçadeiras podem ser colocados para um dia de sol e imersão.

Esta cidade também abriga o Museu do Vinho, de propriedade familiar, onde artefatos da operação de vinificação de mais de 100 anos estão em exibição dentro e nos jardins.

O Caparica Azores Ecolodge da Terceira oferece seis cabanas modernas aninhadas numa floresta de louros. A arte das mulheres locais acentua os interiores minimalistas.

ILHAS ORIENTAIS

São Miguel

São Miguel é a maior ilha dos Açores e onde se situa Ponta Delgada, capital da região autónoma dos Açores. A ilha tem cerca de 65 quilómetros de comprimento e 15 quilómetros de largura.

Ponta Delgada é a capital da região autónoma dos Açores. Adobe Stock

É o lar do que se diz serem as estufas comerciais mais antigas do mundo, que cultivam ananases e a plantação de chá em operação mais antiga da Europa.

Ao largo da costa de Vila Franca do Campo, a capital original, um vulcão submerso com uma lagoa intocada atrai canoístas, mergulhadores e nadadores.

Uma das paisagens mais aclamadas da ilha é o Vale das Furnas, uma cratera adormecida coberta de folhagem e pontilhada de lembranças do seu passado vulcânico, incluindo convidativas fontes termais.

Dentro deste vale, o centenário Jardim Terra Nostra é particularmente mágico. Caminhos sombreados serpenteiam ao lado de um canal sinuoso, grutas e plantas endêmicas e exóticas, algumas com mais de um século.

Também cenicamente deslumbrante, com fetos e abrigos cheios de areia vulcânica, é Furnas Golf Club, de 18 buracos, que fica cerca de 50 metros acima do nível do mar.

Em Ponta Delgada, os hóspedes do hotel boutique Senhora da Rosa sentem-se longe da agitação desta capital, especialmente quando mergulham numa pequena piscina situada numa estufa de ananás.

 

Santa Maria

Santa Maria é a ilha mais a sul dos Açores, com sol e praias de areia dourada.  /Adobe Stock

Santa Maria, a mais meridional dos Açores, não é apenas a mais ensolarada das ilhas, mas também a única agraciada com praias de areia dourada.

Os verdes e azuis do mar, do céu e dos vales misturam-se no Miradouro da Pedra Rija, um dos muitos miradouros que proporcionam um belo local para piqueniques. Florestas de cedro japonês cobrem as estradas em ziguezague, às vezes ao lado de caminhos ladeados por mirtilos dos Açores e pequenas orquídeas.

A aldeia de São Lourenço é especialmente popular no verão pelo seu areal fotogénico, que é apoiado por uma tapeçaria de vinhas velhas cercadas por paredes de pedra de lava negra.

A encantadora vila à beira-mar dos Anjos tem uma piscina natural calma, e o bar local Bar dos Anjos oferece vistas estelares do pôr-do-sol para desfrutar enquanto mordisca lapas grelhadas.

Nota: O artigo original da CNN Internacional pode ser lido aqui.

 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Viagens

Mais Viagens

Na SELFIE

Patrocinados