Hospitais de Lisboa: tempo de espera para doentes urgentes varia entre 17 minutos e 09 horas

Agência Lusa , PP
7 dez 2022, 00:41
Hospital de São Francisco Xavier

Dados são do Portal do Serviço Nacional de Saúde

Os tempos médios de espera para doentes urgentes nos hospitais da região de Lisboa variavam às 00:15 de hoje entre as 09 horas, no Hospital Beatriz Ângelo, e os 17 minutos, no São Francisco Xavier, segundo dados do SNS.

De acordo com os dados do Portal do Serviço Nacional de Saúde, consultados pela agência Lusa, 74 doentes com pulseira amarela (urgente) encontravam-se às 00:15 de hoje no serviço de urgência geral do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, tendo um tempo médio de espera de 09 horas e 36 minutos, quando o tempo recomendado é de 60 minutos.

No Hospital Santa Maria, o tempo médio de espera é de 06 horas e 17 minutos, estando a esta hora 30 pessoas com pulseira amarela no serviço de urgência central.

Nos hospitais São José, Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) e Garcia de Orta, em Almada, o tempo de espera é de 02 horas e 14 minutos (04 pessoas), 01 hora e 54 minutos (12) e 01 horas e 49 minutos (10), respetivamente.

Já no hospital pediátrico D. Estefânia o tempo de espera é de 01 hora e 45 minutos, encontrando-se dez pessoas a aguardar no serviço de urgência, enquanto na urgência pediátrica do Fernando Fonseca, o tempo de espera é de 49 minutos (03 pessoas).

No hospital São Francisco Xavier, o tempo médio de espera está dentro do recomendado, com 14 minutos para doentes urgentes.

Na região do Porto, no Hospital S. João, o tempo médio de espera é de 50 minutos para doentes muito urgentes, encontrando-se sete pessoas com pulseira laranja (tempo recomendado de 10 minutos) e de 01 hora e 44 minutos para doentes urgentes, encontrando-se 35 pessoas com pulseira amarela. Na urgência pediátrica, o tempo de espera para doentes urgentes é de 03 horas (19 pessoas).

No Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, o tempo de espera para doentes urgentes é de 01 hora e 35 minutos, encontrando-se à espera uma pessoa, enquanto o Hospital de Vila Nova de Gaia não partilha tempos da urgência.

A triagem de Manchester, que permite avaliar o risco clínico do utente e atribuir um grau de prioridade, inclui cinco níveis: emergente (pulseira vermelha), muito urgente (laranja), urgente (amarelo), pouco urgente (verde) e não urgente (azul).

Nos casos de pulseira amarela, o primeiro atendimento não deve demorar mais de 60 minutos, e no caso da pulseira verde a recomendação é que não vá além de 120 minutos (duas horas).

Mais Lidas

Patrocinados