Amorim e a confusão com Nuno Santos: «Os jogadores têm de aguentar»

16 jan, 20:14
Ruben Amorim no Gil Vicente-Sporting (Manuel Fernando Araújo/LUSA)

Treinador do Sporting considera justa a vitória em Vizela

O treinador do Sporting, Ruben Amorim em declarações na flash interview da SportTV, após a vitória frente ao Vizela (2-0), em jogo da 18.ª jornada da Liga:

[Análise] «Os primeiros dez minutos foram confusos para nós, a equipa não ficou muito tranquila. Depois adaptámo-nos, acertámos algumas coisas e começámos a controlar. Os golos surgiram normalmente. Na segunda parte controlámos, mas podíamos ter sido mais agressivos, temos de melhorar isso. Mas é um resultado justo.

[Aposta em Daniel Bragança] Tem a ver com o dia a dia, com as características do jogo, sabíamos que havia pouco espaço em jogo interior e o Bragança é muito forte em espaços reduzidos. O Bragança tem estado muito bem.

Uma equipa tem de sofrer poucos golos, e nós vivemos muito disso. Hoje os jogadores foram exemplares, cumpriram bem. A concentração dos jogadores a defender é muito importante e faz parte do nosso sucesso.

[Confusão nos minutos finais] É culpa de toda a gente, penso que o Nuno Santos disse qualquer coisa ao público, os jogadores têm de aguentar, faz parte da nossa profissão. Depois cada um defendeu o seu lado, são minutos escusados e há que evitar.

[É obrigatório perder ainda menos pontos na segunda volta] Não temos de olhar nessa perspetiva, sabemos que FC Porto, Benfica e Sp. Braga são muito fortes. O que temos de olhar é que se baixarmos a nossa identidade, podemos perder pontos em qualquer jogo. Controlarmos é a nossa maneira de estar e temos de ser sempre iguais.»

Relacionados

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados