Gyökeres iguala Falcao e Cardozo e já é o segundo melhor do Sporting neste século

22 abr, 14:31
Sporting-Farense (Miguel A. Lopes/Lusa)

Há 13 anos que nenhum avançado, em Portugal, atingia 38 golos em todas as competições. Pelo Sporting, «Super» Mário Jardel, versão 2001/02, e Peyroteo seguem como líderes

Tirar a barriga de misérias na receção ao Vitória de Guimarães catapultou Viktor Gyökeres para um registo inédito em mais de 10 anos no futebol nacional. Contabilizando as contribuições entre quatro competições, o avançado atingiu os 38 golos. O último «artilheiro» a atingir tal marca foi Radamel Falcao, pelo FC Porto, na época 2010/11.

Antes, só Cardozo, na época 2009/10, precisamente com 38 golos.

No campeonato, o sueco leva 24 golos, além de outros nove entre Taça de Portugal e Taça da Liga. Na Liga Europa, Gyökeres celebrou cinco golos.

Há 13 anos, Falcao anotou 16 golos na Liga, três na Taça de Portugal, um na Supertaça e 18 na Liga Europa. De lembrar que nessa época, então orientados por André Villas-Boas, o FC Porto conquistou a prova europeia.

Peyroteo, Jardel e outras forças da natureza

Ainda que Gyökeres tenha feito muitos adeptos esquecerem Slimani, Liedson ou Bas Dost – que marcou 34 golos na época de estreia na Liga, em 16/17 – há um patamar que o avançado sueco dificilmente atingirá. Escrevemos, pois claro, sobre Fernando Peyroteo.

O eterno artilheiro dos leões anotou 58 golos na época 45/46, máximo que havia ensaiado em 1937/38 (57 golos) e 1939/40 (50 golos).

Nesta lista de goleadores lusos não pode faltar outro nome incontornável. Eusébio da Silva Ferreira, pois claro. A época 67/68 está eternizada como a melhor do «Pantera Negra», com 50 golos. Em todo o caso, tal registo esteve próximo anos antes, em 63/64 e 64/65, quando assinou 46 e 48 golos.

Mais recentemente, em 1982/83, Fernando Gomes também «estacionou» na meia centena, marca da qual esteve próximo em 84/85, com 46 golos. Nessa época, para a Liga, o «Bibota» conseguiu 39 golos. Dois anos antes, havia conseguido 36.

Se estes registos são impressionantes, o que dizer de Mário Jardel? Na época 99/00, o avançado anotou 56 golos em 51 partidas pelo FC Porto. Foram 38 golos no campeonato, 10 na Liga dos Campeões, seis na Taça de Portugal e dois na Supertaça.

Dois anos volvidos, regressado da Turquia, mas pela porta do Sporting, «Super» Mário voltou a impressionar, marcando por 55 ocasiões, num total de 42 partidas. Assinou 42 golos na Liga, seis na Liga Europa – então Taça UEFA – e outros sete na Taça de Portugal. Foi um dos amuletos para o Sporting resgatar o título e segue como melhor marcador neste século nos leões e no futebol português.

As colinas a dobrar, em quatro jornadas

Ora, com o bis na receção ao Vitória de Guimarães, Gyökeres superou a marca de Pedro Gonçalves na Liga em 20/21, com 23 golos. Em simultâneo, o sueco igualou as épocas de Lisandro López pelo FC Porto (07/08) e de Nuno Gomes pelo Benfica (98/99).

O «artilheiro» do Sporting está a um golo de igualar Liedson (04/05), Falcao (09/10), Domingos Paciência (95/96), Jorge Cadete (91/92, pelo Sporting) e Rui Águas (90/91, pelo Benfica).

Mais longe estão as temporadas prolíferas do leão Yazalde, que assinou 30 golos em 1974/75 e 46 na época anterior. No universo leonino permanecem vivas as memórias da veia goleadora de Manuel Fernandes, sobretudo em 85/86, quando anotou 30 golos. Mais próximos dessa marca estiveram Bas Dost, em 16/17, com 34 golos, e Slimani, em 15/16, com 27 golos.

Quanto aos rivais, e excluindo o reinado de Jardel de 1996 a 2001 – com interregno de uma época – Gyökeres terá de olhar para Jonas. O «Pistolas» atingiu o «ponto rebuçado» pelo Benfica em 17/18, com 34 golos no campeonato, num total de 37. Dois anos antes, havia marcado 32 golos na Liga.

Depois, é preciso recuar 24 anos para encontrar alguém com audácia para entrar na casa dos 30. Aconteceu com o nigeriano Ricky, do Boavista, em 91/92.

Antes, só Matts Magnusson, com 33 golos, sueco coroado como melhor marcador do campeonato, ao serviço do Benfica em 89/90.

Numa altura em que a disputa pelo trono de melhor marcador na Liga segue ao rubro, Gyökeres voltou a ser feliz em frente à baliza, cimentando a vantagem sobre Banza e Mújica. A quatro jornadas do término do campeonato, o sueco guarda vantagem de três golos para o «rival» do Sp. Braga.

Relacionados

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados