Covid-19: estudo prova que perda de olfato pode ser permanente

24 jan, 10:26
Teste à covid-19

Um ano e meio depois da recuperação, 65% das pessoas que contraíram a doença continuam com perda de olfato

A perda de olfato, um dos sintomas mais comuns de infeção por covid-19, afeta cerca de metade dos infetados e pode até ser permanente. A conclusão é de um estudo do Instituto Karolinska, na Suécia, em parceria com a universidade de Yale.

Segundo o estudo, 65% dos infetados com covid-19 sofrem de perda parcial ou total de olfato e a grande maioria destes continua com o sintoma vários meses depois.

Através de uma amostra de cem pessoas positivas ao vírus, os investigadores observaram que mais de sete meses após a recuperação da infeção, há uma grande percentagem de pessoas que continua a apresentar alguma disfunção olfativa. De acordo com as conclusões deste estudo, 4% perdeu completamente a perda de olfato.

Para os especialistas, o tempo prolongado da perda de olfato e as características deste sistema pode significar que esta disfunção possa ser permanente.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados