É oficial, Marcelo promulgou. Por isso: veja aqui se vai ter apoios do Estado (e exatamente quanto) para pagar a renda da sua casa

9 nov 2023, 11:33
simulador renda

Marcelo Rebelo de Sousa publicou esta quinta-feira o diploma do Governo que prevê apoios para o pagamento das rendas das casas a partir de 2024. Para o ano há aumentos de 6,94% - é a maior subida em 30 anos. Neste artigo pode saber se vai beneficiar ou não em 2024 dos apoios que o Governo anunciou para o pagamento da renda - a CNN desenvolveu um simulador que faz as contas por si

Nota do editor: o simulador faz os cálculos para o aumento máximo de 6,94% e calcula também os apoios anunciados pelo Governo, aos quais acedem os agregados que auferem até 38.632 euros anuais de rendimento coletável e têm uma taxa de esforço superior a 35% no pagamento da renda - este apoio tem um limite máximo de 200 euros mensais em 2023, que se mantém em 2024 e ao quais acrescem até 4,94% de apoio-extra anunciado pelo Governo. O simulador incorpora todos estes cálculos - basta inserir o vencimento mensal bruto do seu agregado (se arrendar sozinha/o basta inserir o seu vencimento bruto) e o valor da renda - depois o simulador trata de tudo por si. Os valores são meramente indicativos, têm por base a informação conhecida e não dispensam a consulta das instituições públicas

 

O Instituto Nacional de Estatística divulgou em setembro o valor que serve de base para o cálculo do coeficiente de atualização anual das rendas. O número fixou-se nos 6,94. O Governo anunciou entretanto que não vai fazer no próximo ano o que fez de 2022 para 2023 (limitou os aumentos a 2%). Portanto: as rendas vão aumentar 6,94% a partir de janeiro de 2024.

Por outro lado, o Governo anunciou apoios para alguns portugueses - não para todos - poderem acomodar este aumento. Marcelo promulgou esta quinta-feira o diploma que prevê esses apoios - e a CNN Portugal disponibiliza este simulador para que qualquer pessoa possa fazer facilmente as suas contas.

Os portugueses que não beneficiarem de qualquer apoio vão pagar praticamente o equivalente a um 13º mês de renda - tal como pode verificar no simulador em cima. Um exemplo: um agregado em que cada um ganhe 750 euros brutos /mês (ou um solteiro que ganhe 1500 euros brutos) com uma renda da 500 euros vai pagar mais 34,70 euros por mês, o que ao final do ano dá mais 416,40 euros  - ou seja, quase uma renda extra. 

Refira-se que as rendas em 2023 deviam ter aumentado 5,43% mas o Executivo liderado por António Costa decidiu impor um limite de 2%, compensando os senhorios da diferença através da via fiscal.

País

Mais País

Patrocinados