Saiba tudo sobre o Euro aqui

Tem crédito à habitação? Respire fundo antes de abrir este artigo - e depois veja quanto é que a sua prestação pode subir em outubro

14 set 2023, 14:03
Manifestação pelo direito à habitação em várias cidades portuguesas (Getty Images)

BCE voltou a subir as taxas de juro. Política do banco central já levou a aumentos de 80% nas prestações a pagar ao banco

NOTA | O BCE tem três taxas de juro de referência:

- A taxa das principais operações de refinanciamento, sob a qual os bancos podem contrair empréstimos junto do BCE pelo prazo de uma semana: está nos 4,25% mas esteve fixada em zero entre março de 2016 e julho do ano passado - vai subir agora para 4,5%;

- A taxa de depósito, que determina os juros que os bancos recebem pelos depósitos realizados junto do BCE: está em 3,75%, vai passar a ser de 4% - o valor mais elevado de sempre. Mas entre julho de 2012 e junho de 2013 era de zero. E entre junho de 2013 e julho do ano passado era negativa, obrigando os bancos a pagar pelos depósitos que faziam no BCE;

- E a taxa de cedência de liquidez, que determina o juro que os bancos pagam quando contraem empréstimos junto do BCE pelo prazo de um dia (overnight). Está atualmente em 4,50% - vai aumentar para 4,75%

 

SIMULAÇÕES

Quanto já aumentou e quanto poder subir em outubro a prestação da casa (simulações com base na informação conhecida até 13 de setembro)

Empréstimo a 30 anos com spread de 1%

(Dados das Euribor de setembro apenas até dia 13)

EURIBOR 3 MESES

  Empréstimo
de 25 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 92,54  
Janeiro de 2023 106,25 13,71
Abril de 2023 118,07 11,82
Julho de 2023 127,21 9,14
Outubro de 2023 131,26 4,05
Aumento face há um ano   38,72

 

  Empréstimo de 50 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 185,08  
Janeiro de 2023 212,50 27,42
Abril de 2023 236,15 23,65
Julho de 2023 254,41 18,26
Outubro de 2023 262,51 8,10
Aumento face há um ano   77,43

 

  Empréstimo de 75 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 277,63  
Janeiro de 2023 318,76 41,13
Abril de 2023 354,22 35,46
Julho de 2023 381,62 27,40
Outubro de 2023 393,77 12,15
Aumento face há um ano   116,14

 

  Empréstimo de 100 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 370,17  
Janeiro de 2023 425,01 54,84
Abril de 2023 472,30 47,29
Julho de 2023 508,83 36,53
Outubro de 2023 525,03 16,20
Aumento face há um ano   154,86

 

  Empréstimo de 125 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 462,71  
Janeiro de 2023 531,26 68,55
Abril de 2023 590,37 59,11
Julho de 2023 636,03 45,66
Outubro de 2023 656,29 20,26
Aumento face há um ano   193,58

 

  Empréstimo de 150 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 555,25  
Janeiro de 2023 637,51 82,26
Abril de 2023 708,45 70,94
Julho de 2023 763,24 54,79
Outubro de 2023 787,54 24,30
Aumento face há um ano   232,29

 

EURIBOR 6 MESES

  Empréstimo de 25 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 100,03  
Abril de 2023 123,23 23,2
Outubro de 2023 133,5 33,47
Aumento face há um ano   33,5

 

  Empréstimo de 50 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 200,07  
Abril de 2023 246,47 46,4
Outubro de 2023 267,01 66,94
Aumento face há um ano   66,9

 

  Empréstimo de 75 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 300,1  
Abril de 2023 369,7 69,6
Outubro de 2023 400,51 100,41
Aumento face há um ano   100,4

 

  Empréstimo de 100 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 400,13  
Abril de 2023 492,94 92,81
Outubro de 2023 534,01 133,88
Aumento face há um ano   133,9

 

  Empréstimo de 125 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 500,16  
Abril de 2023 616,17 116,01
Outubro de 2023 667,52 167,36
Aumento face há um ano   167,4

 

  Empréstimo de 150 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 600,2  
Abril de 2023 739,4 139,2
Outubro de 2023 801,02 200,82
Aumento face há um ano   200,8

 

EURIBOR 12 MESES

  Empréstimo de 25 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 108,57  
Outubro de 2023 135,37  
Aumento face há um ano   26,8

 

  Empréstimo de 50 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 217,14  
Outubro de 2023 270,74  
Aumento face há um ano   53,6

 

  Empréstimo de 75 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 325,71  
Outubro de 2023 406,11  
Aumento face há um ano   80,4

 

  Empréstimo de 100 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 434,27  
Outubro de 2023 541,48  
Aumento face há um ano   107,2

 

  Empréstimo de 125 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 542,84  
Outubro de 2023 676,85  
Aumento face há um ano   134,0

 

  Empréstimo de 150 mil euros
  Pagava Aumento
Outubro de 2022 651,41  
Outubro de 2023 812,21  
Aumento face há um ano   160,8

 

Política do BCE já levou a aumentos de 80% nas prestações a pagar ao banco

Apesar do que foi decidido esta quinta-feira pelo BCE, a evolução das Euribor já dá sinais de que a subida das taxas que servem de indexante ao crédito à habitação está perto do fim.

Em agosto, a média da Euribor 12 meses, a taxa mais utilizada nos contratos de crédito em Portugal, já foi inferior a julho. Já a Euribor 6 meses apenas aumentou duas milésimas de ponto percentual entre julho e agosto e a Euribor 3 meses aumentou 0,108 pontos percentuais, ainda assim, o aumento mais baixo desde junho do ano passado.

Os dados de setembro já conhecidos, apenas dos primeiros 13 dias do mês, parecem confirmar a tendência de estagnação das taxas. A média da Euribor 12 meses está a subir face a agosto, mas apenas três milésimas de ponto percentual, na Euribor 6 meses a subida é de nove milésimas e mesmo na Euribor 3 meses a subida é de apenas 0,026 pontos. Ou seja, as três taxas estão praticamente inalteradas face ao mês anterior.

Estes dados não significam, no entanto, que as prestações a pagar ao banco também estejam a estagnar. Isto porque a comparação não é feita mês a mês, mas face à última revisão do contrato. Para quem tenha como indexante a Euribor 12 meses, por exemplo, e que o seu contrato seja revisto em outubro, a taxa de juro relevante a considerar será a média de setembro. Com os dados já conhecidos, a taxa está nos 4,074%, mas este valor terá de ser comparado com a taxa praticada em setembro do ano passado, ou seja, 2,233%. É por isso que os titulares de contratos revistos em outubro ainda vão sentir um aumento significativo da prestação a pagar ao banco.

Pegando no exemplo de um crédito à habitação de 150 mil euros a 30 anos, com um spread de 1%, indexado à Euribor 12 meses, e tendo por base apenas os dados conhecidos de setembro, a prestação passará a ser de 812,21 euros quando há um ano era de apenas 651,41 euros, um aumento de mais de 160 euros.

Os aumentos variam consoante o indexante e o montante do empréstimo, mas a tendência é a mesma. Mesmo que as taxas de juro estejam a estagnar, ainda serão precisos mais meses em que se mantenham estagnadas ou que comecem a descer para que as prestações a pagar também venham a estagnar ou a descer.

E se as subidas de taxas de juro provocaram aumentos significativos no último ano, se se analisar o aumento verificado desde que as taxas Euribor começaram a subir, sensivelmente em janeiro de 2022, então, o aumento das prestações é ainda mais significativo.

Seguindo o mesmo exemplo de um contrato de 150 mil euros a 30 anos, com um spread de 1%, os aumentos ficam em redor dos 80%.

Um contrato indexado à Euribor 3 meses em janeiro do ano passado obrigava a uma prestação de pouco mais de 444 euros e, em outubro deste ano, poderá ultrapassar os 787 euros, uma subida de mais de 340 euros ou 77%. Para o mesmo exemplo, mas com a Euribor 6 meses como indexante, a prestação passa de 447 euros para 801 euros, um aumento de 354 euros ou 79%. E para um contrato indexado à Euribor 12 meses, o aumento é ligeiramente superior a 80%, com a prestação a passar de 450 euros para 812 euros, mais de 361 euros de diferença.

Economia

Mais Economia

Patrocinados