«O período de cinco anos para os naturalizados irem à Seleção é curto»

6 out 2021, 12:19
Ricardo Carvalho (Reuters)

Palavras de Ricardo Carvalho, ele que elogia os exemplos de Pepe e Deco

Ricardo Carvalho acredita que o período de cinco anos para um futebolista se naturalizar português é curto, apesar de elogiar os exemplos de Deco e Pepe.

Em entrevista ao UOL, o antigo defesa-central do FC Porto mostrou-se a favor da integração de jogadores naturalizados na Seleção Nacional, mas defendeu um período superior a cinco anos.

«O Deco e o Pepe são bons exemplos de adaptação ao nosso país, por isso convenceram a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Sinceramente, acho que não é preciso nascer obrigatoriamente em Portugal para representar a Seleção, mas acho muito pouco o período de cinco anos [para poder jogar na Seleção]. Ainda para mais, somos um país que tem muito jogadores talentosos na formação», afirmou.

«As regras são as mesmas e o Otávio e o Matheus Nunes encaixam neste segmento», considerou, sobre a dupla que recentemente se naturalizou portuguesa.

«Eles acreditam que estão em casa em Portugal, querem representar Portugal. Espero que, assim como aconteceu com os outros no passado, sejam bem-recebidos. O mesmo serve para todos os outros que queiram jogar pelo nosso país», prosseguiu.

Agora treinador adjunto na equipa técnica de André Villas-Boas, Ricardo Carvalho vê como normais as críticas ao selecionador Fernando Santos: «É normal. Temos muito talento, sempre tivemos, mas agora cada vez mais temos visto surgir novos talentos. O povo português quer ver a Seleção a jogar melhor.»

«Claro que os resultados que tivemos a partir de 2016 também ajudam a que os adeptos cobrem mais. Nós achávamos que poderíamos fazer mais, e agora temos de dar tempo também. Desde 2015, o Fernando Santos foi o primeiro a acreditar que nós podíamos ganhar um título. Nunca duvidou da equipa dele, passou essa mensagem forte para o balneário. Mas por vezes o futebol é isto. Não acontece sempre, não é fácil chegar às meias-finais e às finais», defendeu.

Ricardo Carvalho defendeu ainda Pepe, com quem trabalhou na Seleção e no Real Madrid. Para ele, o atual capitão do FC Porto não é maldoso a jogar: «O Pepe está no limite. Ele precisa de agressividade para ser o jogador que é, mas não passa da linha, não é maldoso. (…) Claro que, por vezes, pode ter um exagero ou outro, que todos temos, mas não é uma questão de maldade.»

Relacionados

Patrocinados