Seleção feminina: «estádio cheio» é desejo de Diana Silva e Nádia Gomes frente à Bósnia

3 abr, 14:27
Diana Silva (Getty)

Internacionais portuguesas alertam para a qualidade do adversário, apesar da posição que ocupa no ranking e afirmam que a equipa quer entrar com o pé direito na fase de apuramento para o Euro2025

Portugal continua a preparar a estreia na fase de apuramento para o Euro2025 e esta quarta-feira foi a vez de Diana Silva e Nádia Gomes fazerem a antevisão ao jogo frente à Bósnia-Herzegovina.

A avançada do Sporting alerta para eventuais «surpresas» do adversário, tendo em conta a posição que ocupa no ranking, mas garante que as jogadoras estão focadas em garantir um resultado positivo.

«Não podemos desvalorizar qualquer adversário, porque também já estivemos mais abaixo no ranking e conquistámos o que conquistámos. Não podemos menosprezar qualquer adversário e a Bósnia quer fazer o seu caminho. Não as conhecemos bem, por isso vamos trabalhar para não ser surpreendidas», referiu Diana Silva, uma das mais internacionais, com 101 jogos realizados pela seleção principal.

Quanto a Nádia Gomes, que atua no Chicago Red Stars, da liga norte-americana, destaca o «fator casa» e fala sobre a metodologia no campeonato do país.

«Jogar em casa é bom para nós, vai dar-nos a força de que precisamos. Quanto à liga norte-americana, é muito diferente, muito agressiva e ajudou-me a crescer e o que aprendi lá trago para aqui. Espero somar minutos neste primeiro jogo», afirmou.

O jogo entre Portugal e Bósnia-Herzegovina está marcado para esta sexta-feira, às 20h45, no estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria. Já no dia 9, a seleção nacional desloca-se a Malta para realizar o encontro da segunda jornada deste Grupo 3 da Liga B de qualificação para o Euro2025.

Relacionados

Patrocinados