Assuntos Europeus regressam à alçada do Ministério dos Negócios Estrangeiros

Agência Lusa , BCE
4 abr, 22:54
Paulo Rangel e Luís Montenegro (José Sena Goulão/Lusa)

No último governo de António Costa, a secretaria dos Assuntos Europeus foi assumida gabinete do primeiro-ministro

Os Assuntos Europeus regressam à dependência do Ministério dos Negócios Estrangeiros e serão assumidos por Inês Domingos, ex-assessora económica da Presidência, enquanto o ex-consultor da Casa Civil Nuno Sampaio ficará com os Negócios Estrangeiros e Cooperação, segundo informação oficial.

O ministério liderado pelo ministro de Estado Paulo Rangel ficará com a tutela de três pastas: Assuntos Europeus, Negócios Estrangeiros e Cooperação e Comunidades Portuguesas. Deixa de figurar, como até agora, a Internacionalização.

Os Assuntos Europeus regressam assim à alçada do Palácio das Necessidades, depois de terem estado sob o gabinete do primeiro-ministro no último governo de António Costa, desde março de 2022, uma das principais alterações na orgânica daquele executivo.

Os novos secretários de Estado

Inês Lopes, deputada entre 2015 e 2019 e eleita em terceiro lugar, no passado dia 10 de março, pela Aliança Democrática (AD) no círculo de Aveiro, foi assessora económica do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, entre 2021 e 2024.

Na Assembleia da República, teve assento nas comissões parlamentares de Finanças e de Assuntos Europeus.

Segundo a sua página na rede social LinkedIn, é investigadora na Universidade Católica Portuguesa em Lisboa desde 2009 e fundou a International Affairs Network, um 'think tank' de relações internacionais sediado em Lisboa.

Doutoranda no Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa, também trabalhou como economista na City de Londres.

Nuno Sampaio, que ocupará a pasta dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, foi consultor da Casa Civil do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa e assessor para os Assuntos Políticos desde 2016.

Antes, foi assessor para os Assuntos Parlamentares e Autarquias Locais da Casa Civil na Presidência de Aníbal Cavaco Silva, entre 2006 e 2016.

O novo secretário de Estado é docente universitário e investigador e tem um doutoramento e mestrado em Ciência Política e Relações Internacionais.

Para secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, regressa uma cara conhecida da diáspora: José Cesário, eleito pela AD no círculo de Fora da Europa, que já ocupou este cargo em três governos.  

Relacionados

Governo

Mais Governo

Patrocinados