O coronel que admitiu na televisão as dificuldades da Rússia na guerra mudou de discurso

19 mai, 03:46
Mikhail Khodarenok

Em apenas 48 horas, o coronel na reserva que falou na televisão russa dos problemas que estão a surgir na Ucrânia... veio corrigir o tiro. Agora diz que “há todos os motivos para acreditar” que os planos militares do Kremlin se vão concretizar

Mikhail Khodarenok, o coronel russo na reserva que se tornou uma celebridade internacional por ter reconhecido no primetime televisivo que o seu país enfrenta várias dificuldades na guerra da Ucrânia - tendo dito mesmo que "a situação claramente vai piorar para nós" -, corrigiu o discurso na noite passada. Apenas 48 horas depois de se ter tornado uma presença viral nas redes sociais ocidentais - por se ter demarcado da propaganda oficial russa sobre a guerra e elogiado a capacidade das tropas ucranianas -, Khodarenok veio dizer que “há todos os motivos para acreditar” que os planos militares russos para a Ucrânia se vão concretizar.

Khodarenok foi mais longe e considerou que qualquer conversa sobre a Ucrânia poder contra-atacar é um "grande exagero" - desta forma, fazendo uma inversão completa aos elogios que fez na segunda-feira à resiliência, motivação e profissionalismo das forças militares de Kiev.

A correção do tiro aconteceu em nova participação no programa “60 Minutos”, o debate de maior audiência do canal estatal Rossiya 1. O programa costuma ser um diálogo entre várias declinações da mesma propaganda oficial do Kremlin, no qual raramente alguma voz expressa qualquer pensamento que contrarie a narrativa de Putin. Daí o impacto que tiveram as afirmações deste coronel na reserva, contrariando qualquer tipo de triunfalismo russo e alertando para as dificuldades que as suas forças estão a encontrar ao fim de três meses de “operação especial”. O olhar dos seus colegas de painel revelava o desconforto com as suas afirmações, enquanto a moderadora do programa insistia nas linhas essenciais da mensagem do Kremlin: a guerra era inevitável, as tropas russas são superiores e vão vencer.

Contra-ataque ucraniano? "Um grande exagero"

Ontem, o oficial na reserva e comentador televisivo de questões militares apresentou-se com um discurso bastante diferente do de segunda-feira. "Quando as pessoas falam sobre a Ucrânia adquirir a capacidade de contra-ataque, bem, é um grande exagero”, declarou Khodarenok, para alívio dos seus colegas de programa. 

“E no que diz respeito às ações do nosso comando supremo, há todos os motivos para acreditar que a implementação destes planos dará à Ucrânia, num futuro muito próximo, uma surpresa desagradável", afirmou o militar, citado pela CNN Internacional.

Na sua análise, o coronel na reserva defendeu também que será impossível as forças ucranianas ganharem supremacia aérea nos próximos meses, e assegurou que demorará décadas até a Armada ucraniana poder fazer frente à frota russa no Mar Negro.

Outro ponto em que o comentador russo mudou completamente a sua narrativa foi em relação ao apoio militar do ocidente, que está a fornecer grandes quantidades de equipamento e munições aos ucranianos. Afinal, os canhões Howitzer M777 que os EUA têm fornecido a Kiev em breve "serão apenas memórias", disse Khodarenok, citado pela BBC. Enquanto fazia estas afirmações, a realização passava imagens de ataques da Força Aérea russa.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados