Râguebi: novo selecionador nacional não quer apenas «participar» no Mundial 2027

17 abr, 16:14
Simon Mannix, selecionador nacional de râguebi (Bob Edme/AP)

O neozelandês Simon Mannix quer «muito bom rendimento» no Mundial da Austrália, mas ainda tem de garantir a qualificação que irá arrancar em 2025

Apresentado oficialmente esta segunda-feira, Simon Mannix, novo selecionador nacional de râguebi, garantiu que pretende um «muito bom rendimento» de Portugal para o Mundial da Austrália 2027.

«Claro que o grande objetivo é participar no Mundial 2027, mas não apenas participar. Temos de o fazer com um muito bom rendimento. Com o novo formato do Mundial, Portugal tem de estar lá não só para participar, mas para competir», referiu o técnico neozelandês, na tribuna presidencial do Estádio Nacional, em Oeiras.

A ocupar o cargo deixado por Patrice Lagisquet, o novo selecionador elogiou o trabalho da equipa técnica anterior, que teve «resultados, exibições e estilo de jogo falam por si».

«São capazes de praticar um râguebi entusiasmante, a jogar a bola e o espaço. E essa sempre foi a minha filosofia em todas as equipas que treinei. Não gosto de correr contra uma parede e, por isso, não peço aos meus jogadores que o façam. Quero a bola a circular e que tenhamos as capacidades físicas e técnicas para o fazer», destacou sobre o que pretende da equipa.

Questionado sobre a importância de profissionalizar a equipa dos ‘lobos’, Mannix disse: «O significado de representar uma seleção nacional é mais profundo. O que espero do jogador português é que venha jogar por algo mais importante. Independentemente de ser pago ou não, o que eu espero é que a sua atitude seja merecedora de representar a seleção nacional».

De destacar que o técnico, que nesta época esteve no comando do Biarritz, clube da Pro D2 francesa, assinou um contrato de quatro anos com a seleção portuguesa. A qualificação para o próximo Campeonato do Mundo de râguebi irá arrancar em 2025.

 

Relacionados

Seleção

Mais Seleção

Mais Lidas

Patrocinados