Carneiro avisa Pedro Nuno que o país “deseja previsibilidade, estabilidade”. E estica a mão a parceria: “estou disponível para o PS”

16 dez 2023, 20:56

Resultados preliminares apontam que Carneiro não conseguirá superar Pedro Nuno Santos

O candidato à liderança do PS José Luís Carneiro afirmou estar “disponível para o PS” mesmo que não se consagre secretário-geral do partido, como apontam os resultados preliminares, já que Pedro Nuno Santos está à frente na maior parte das federações.

“Estou preparado para declarar o meu dever. O dever de estar disponível para o PS, para os seus valores, para os seus princípios. E com esses valores e princípios contribuir para servir Portugal. Esse é o dever de todos nós”, afirmou à entrada de um hotel em Lisboa, onde acompanhará a noite eleitoral.

O também ministro da Administração Interna garantiu que fará, depois de conhecidos os resultados oficiais, fará uma declaração na sede nacional do partido, no Largo do Rato.

“O país deseja previsibilidade, estabilidade, para poder manter a sua confiança nas nossas instituições. No que depender da nossa candidatura, de mim e dos que me acompanham, o país e o PS sabe que contará com atitudes e comportamentos de serviço ao nosso país, porque esse é o nosso primeiro e mais importante compromisso”, afirmou.

Questionado sobre se essa estabilidade seria possível com um governo de Pedro Nuno Santos, rival nestas diretas, afirmou que “o PS será sempre um fator de estabilidade”, sendo um “partido plural, diverso, que tem no seu interior formas de pensar diversas, a partir dos mesmos valores”.

No início da declaração, Carneiro quis deixar uma palavra de “profundo agradecimento” e “gratidão” aos militantes e cidadãos que demonstram apoio à candidatura.

“Foi uma boa campanha, que contribui para informar, para esclarecer. Procurámos levar propostas”

Carneiro surgiu acompanhado pela mulher e pelos filhos, assim como por outros nomes socialistas como António Vieira da Silva, José Leitão, Jorge Lacão ou André Moz Caldas.

Cerca de 60 mil militantes do PS estiveram esta sexta-feira e sábado a escolher quem será o próximo secretário-geral do partido, o nono, que sucederá a António Costa.

Relacionados

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados