Marcelo contactou militares da GNR feridos em Beja e Grândola

Agência Lusa , DCT
14 jan, 12:38
Marcelo Rebelo de Sousa (Lusa/António Pedro Santos)

Na sexta-feira, três militares da GNR foram agredidos por um homem em Beja e ficaram feridos, um deles com gravidade devido a uma dentada que lhe mutilou o nariz.

O Presidente da República está a acompanhar a evolução do estado de saúde dos militares da GNR vítimas de ferimentos graves em serviço em Beja e Grândola, com quem contactou diretamente ou através de familiares, anunciou a Presidência.

De acordo com uma nota publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, "o chefe de Estado falou, telefonicamente, com a mulher do guarda principal Carlos Dias, do posto territorial de Beja, o qual ainda se encontra sob observação hospitalar".

Segundo a mesma nota, Marcelo Rebelo de Sousa "contactou ainda com o guarda João Vidal, considerado ferido grave devido a um atropelamento em Grândola, inteirando-se do seu estado de saúde, que evolui favoravelmente".

"O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa testemunha a coragem, a abnegação e a responsabilidade das forças de segurança, desejando rápidas melhoras aos militares feridos", lê-se no texto.

Na sexta-feira, três militares da GNR foram agredidos por um homem em Beja e ficaram feridos, um deles com gravidade devido a uma dentada que lhe mutilou o nariz.

O homem que os agrediu no posto de Beja da GNR vai aguardar o desenrolar do processo em prisão preventiva.

Na quarta-feira, um militar da GNR ficou ferido com gravidade na sequência de um atropelamento por um automóvel no Itinerário Complementar 33 (IC33) nos arredores de Grândola, distrito de Setúbal.

Política

Mais Política

Patrocinados